Moscou, 6 mai (EFE).- O cargueiro Progress M-66 se desacoplou hoje da Estação Espacial Internacional (ISS) para remover resíduos e servir como laboratório antes de ser destruído no Pacífico, informou o Centro de Controle de Voos Espaciais da Rússia (CCVE).

"Durante as próximas duas semanas, a nave permanecerá na órbita da Terra e servirá como laboratório para o experimento geofísico 'Plasma-Progress'", informou um porta-voz do Centro à agência "Interfax".

No decorrer desse voo autônomo do cargueiro, os cientistas estudarão com a ajuda de um radar especial situado na cidade siberiana de Irkutsk as características, tamanho e densidade do plasma que surge em decorrência do funcionamento dos propulsores do aparelho.

No dia 18, a nave abandonará a órbita provisória e, após ser queimada na atmosfera, os restos serão submersos no chamado "cemitério de naves espaciais" no Pacífico, um setor livre de navegação marítima a três mil quilômetros da Nova Zelândia.

A nave será substituída na ISS pelo cargueiro "Progress M-02M", que será lançado na quinta-feira e que demorará cinco dias, em vez dos frequentes dois, para chegar à Estação, informou o CCVE.

Um porta-voz do centro disse que o tempo de voo foi ampliado porque a "'Progress M-02M' é a segunda nave da nova série" e, "durante a viagem, serão realizados testes de voo e dos sistemas" do cargueiro.

A "Progress M-66" e a "Progress M-02M" se diferenciam pelos sistemas de comando digitais.

As inovações permitem aumentar velocidade de manobra e reduzir o peso do equipamento, e, por isso, os novos modelos podem transportar até 80 quilos a mais de carga. EFE si/db

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.