Caracas diz não ter queixas libanesas sobre diplomata denunciado pelos EUA

Caracas, 18 jun (EFE).- A Venezuela não recebeu queixas do Líbano sobre seu diplomata Ghazi Nasr al-Din, que trabalha na Embaixada venezuelana em Beirute e foi acusado pelos Estados Unidos de possuir ligações com o Hisbolá, disseram hoje à Agencia Efe fontes ministeriais.

EFE |

Fontes da Chancelaria venezuelana em Caracas indicaram que o titular do Ministério, Nicolás Maduro, se encontra em um ato com o presidente Hugo Chávez, e que poderia mais tarde responder oficialmente à denúncia de Washington.

Os EUA acusaram ontem Ghazi Nasr al-Din e o empresário venezuelano Fawzi Kanaan de trabalhar para o Hisbolá, e por isso os incluiu em sua lista de pessoas vinculadas ao terrorismo e ordenou o congelamento dos bens de ambos em território americano.

Fontes do Ministério venezuelano confirmaram que Nasr al-Din é conselheiro para assuntos políticos da Embaixada da Venezuela no Líbano.

Reforçaram, por outro lado, que o grupo xiita libanês já desmentiu que ambos integrassem o grupo.

Segundo o Escritório de Controle de Bens Estrangeiros (Ofac, na sigla em inglês) do Departamento do Tesouro americano, Nasr al-Din foi até pouco tempo o encarregado de negócios da Venezuela em Damasco e agora está na embaixada de seu país no Líbano.

As fontes consultadas pela Efe disseram desconhecer Kanaan, um empresário que, segundo os EUA, tem "base na Venezuela" e é suspeito de ter facilitado a viagem de membros do Hisbolá ao país latino-americano e de ter arrecadado dinheiro para o grupo. EFE eb/fr

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG