Carabineiros chilenos conseguem retirar todos os civis da região de Chaitén

Santiago do Chile, 8 mai (EFE).- Uma operação especial realizada nas últimas horas de hoje por Carabineiros chilenos (polícia militarizada), permitiu finalmente evacuar todos os civis da localidade de Chaitén, afetada pela erupção do vulcão de mesmo nome.

EFE |

Os policiais "varreram" praticamente um primeiro círculo de 15 quilômetros próximos ao Vulcão, cujas cinzas alcançaram a cidade de Buenos Aires, para continuar de forma sistemática nos seguintes 30 e 50 quilômetros, respectivamente.

Entre os últimos evacuados se encontrava Bernardo Riquelme, o locutor de uma rádio de freqüência modulada de Chaitén, que junto ao rádio controlador se negava a abandonar a região e continuava transmitindo as mensagens para os poucos habitantes.

Segundo o governador de Palena, Fernando Águia, no setor, encontram-se agora somente Carabineiros que ingressarão unicamente para a, agora cidade "fantasma", de Chaitén, a fim de realizar inspeções esporádicas para evitar os gases tóxicos.

A nova e grande explosão do vulcão Chaitén ocorrida na noite de quarta-feira, levou o Governo da presidente Michelle Bachelet, a ordenar a evacuação total da zona tendo inclusive recorrido aos tribunais para obrigar os cidadãos reticentes a deixar o local.

Calcula-se que cerca de 8.000 pessoas abandonaram a província de Palena, 1.220 quilômetros de Santiago, mas algumas dezenas resistiam e não queriam deixar suas casas ou animais, escondendo-se quando as patrulhas passavam.

O vulcão Chaitén é um dos 2.085 vulcões que existem no Chile, dos quais aproximadamente 55 estão ativos.

A localização desta nação austral na margem sudeste do chamado "Cinturão de Fogo do Pacífico", onde convergem as placas de Nasca e da América do Sul, transforma o Chile em uma das zonas de maior atividade sísmica e vulcânica do planeta.

A violenta erupção do Chaitén gerou fumaças de 30.000 metros de altura, que já ultrapassaram a Cordilheira dos Andes e afetaram várias localidades do sul da Argentina. EFE mc/fb

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG