Cápsula de resgate chega à mina no Chile

Socorristas descerão até onde estão os trabalhadores para organizar a subida à superfície

EFE |

Reuters
Cápsula chega ao local de resgate dos mineiros
Uma das três cápsulas de resgate que serão utilizadas para retirar os 33 mineiros presos a 700 metros sob a terra chegou neste sábado à mina San José, no norte do Chile. A cápsula metálica, construída nos estaleiros da Marinha chilena (Asmar), chegou às 15H43 local, em um caminhão escoltado pela polícia.

A estrutura, que resgatará os mineiros um a um, tem 2,5 metros de comprimento e peso aproximado de 250 quilos, segundo a Asmar.

A cápsula será puxada para a superfície por um estreito túnel, de cerca de 70 cm, que é aberto por três perfuradoras, que trabalham separadamente e em três frentes.

O resgate dos mineiros, presos desde 5 de agosto passado, deve ocorrer no início de novembro, segundo o ministro da Mineração, Laurence Golborne.

Detalhes do resgate

O governo chileno divulgou neste sábado os detalhes da fase final do resgate dos 33 mineradores presos no norte do país, e anunciou que dois socorristas descerão até onde estão os trabalhadores para organizar a subida à superfície.

O ministro de Mineração do país, Laurence Golborne, e o de Saúde, Jaime Mañalich, foram neste sábado à mina San José para planejar com as equipes de resgate a última fase da operação de salvamento e os cuidados médicos que os mineradores receberão assim que saírem da jazida.

Mañalich explicou aos jornalistas que descerão à mina um socorrista e outro médico, especialistas em trabalhos de resgate, "para assistir aos mineiros na sua entrada na cápsula".

A Marinha irá fabricar a espécie de três gaiolas para o resgate, que foram batizadas com o nome de Fênix. A primeira delas tem previsão de chegar à mina ainda hoje.

O ministro de Mineração explicou que as cápsulas são equipadas com um tubo de oxigênio e com microfone e alto-falantes, para manter a comunicação com o exterior durante o resgate.

Quanto aos trabalhos de resgate, a máquina T-130, encarregada do "Plano B", alcançou os 175 metros no alargamento do túnel de 632 metros que escavou com sucesso na primeira etapa de sua tarefa.

A perfuradora Strata 950, do "Plano A", chegou a 442 metros de profundidade, de um total de 702 metros que deve cavar para depois alargar o conduto. Já a máquina petrolífera RIG 421, que executa o "Plano C" e é a única que cava diretamente um túnel de 66 centímetros de diâmetro, chegou hoje a 62 metros de profundidade.

Resgate

Os trabalhos de resgate podem ser concluídos em outubro por causa do avanço mais rápido em uma das perfurações. O maior otimismo na operação de resgate dos operários, presos a cerca de 700 metros de profundidade na região norte do país, surgiu depois que a máquina perfuradora de petróleo da estatal ENAP, usada no Plano C de resgate, atravessou 23 metros em apenas quatro horas.

"Quando perfurarmos os primeiros 200 metros estarei em condições de dizer mais ou menos o tempo estimado", disse Juan Carlos Marin, um trabalhador argentino da empresa responsável pelas perfurações da máquina petroleira. "Tomara, tomara que, se continuarmos assim, em sete dias terminemos, não?", acrescentou, ao ser consultado sobre o ritmo de trabalho alcançado em quatro horas.

O governo, que originalmente estimava a conclusão do resgate entre novembro e dezembro, está "esperançoso" de que os trabalhos sejam concluídos antes do previsto, disse o presidente chileno, Sebastián Piñera.

Em uma das operações de resgate subterrâneo mais complexas já realizadas, foram cavados sucessivamente buracos mais largos, usando três perfuradoras para alcançar os mineiros. Eles se refugiaram em um túnel após um desabamento em 5 de agosto.

Com informações da EFE a AFP

    Leia tudo sobre: mineradoreschile

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG