Capitão de navio naufragado pediu jantar após acidente, diz cozinheiro

Buscas do navio Costa Concordia, que está parcialmente submerso, são retomadas, mas somente na superfície

iG São Paulo |

O capitão do navio Costa Concordia, que naufragou na Itália na sexta-feira, teria pedido jantar para ele e uma mulher depois de a embarcação bater em uma rocha, afirmou um dos cozinheiros do cruzeiro.

Em entrevista à emissora filipina GMA, o cozinheiro Rogelio Barista disse que o pedido do capitão Francesco Schettino foi feito por volta das 22h30 (horário local), quase uma hora depois do acidente, que aconteceu às 21h41, de acordo com autoridades.

Leia também: Especialistas apontam possíveis 'destinos' para Costa Concordia

AP
Moradores da ilha de Giglio, na Itália, observam navio naufragado

“As coisas na cozinha estavam caindo das prateleiras. Tenho 12 anos de experiência como cozinheiro de cruzeiros e já vi incêndios, então não me assustei. Mas pensei: ‘O que o capitão está fazendo? Por que ele ainda está ali?’”, afirmou Barista, de acordo com a rede americana CNN.

A jovem que estava com o capitão é a moldávia Dominika Cermortan , 25 anos. De acordo com a Costa Cruzeiros, empresa dona do Costa Concordia, ela embarcou na sexta-feira.

Em entrevista ao jornal italiano Corriere della Sera, a jovem negou ser amante do comandante. “Ele sempre mostra a foto de sua filha quando era pequena. Um homem que procura uma amante não se comporta assim”, disse ela.

Schettino cumpre prisão domiciliar e é acusado de homicídio múltiplo, naufrágio e abandono de navio. A empresa afirmou que ele realizou uma manobra não autorizada para passar muito perto da ilha de Giglio.

Promotores acrescentam que ele abandonou o navio enquanto tripulantes e passageiros tentavam se salvar, apesar de ter sido ordenado inúmeras vezes para voltar à embarcação .

Buscas retomadas

As buscas por 21 desaparecidos do naufrágio foram retomadas nesta sexta-feira, porém somente na superfície.

As operações no Costa Concordia tinham sido suspensas depois que a embarcação se movimentou novamente. Essa foi a terceira suspensão do trabalho das equipes de resgate.

Cosimo Nicastro, porta-voz da guarda costeira, disse nesta sexta-feira que as autoridades vão determinar na manhã de sábado se enviarão ou não mergulhadores para as buscas do navio, que está parcialmente submerso.

Ele acrescentou que as buscas vão se ater principalmente ao terceiro andar do transatlântico, onde estavam os botes salva-vidas.

De acordo com autoridades, a proa (parte da frente da embarcação) afunda a 15 milímetros por hora, enquanto a popa (parte de trás) afunda a sete milímetros por hora.

A superfície total na qual o navio se apoia é de mil metros, enquanto o casco se encontra relativamente próximo de um precipício com uma inclinação de 24 graus.

"O navio foi estabilizado e a busca na parte superior da embarcação está sendo retomada", disse o porta-voz da marinha italiana Alessandro Busonero à AFP.

A atenção se volta para como retirar mais de 2,3 mil  toneladas de combustível a bordo do navio, que está deitado de lado sobre um recife em 20 metros de água perto da ilhota de Giglio e que pode sair do lugar de repouso.

Com Reuters e EFE

    Leia tudo sobre: itálianaufrágiocruzeirocosta concordia

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG