O líder do governo italiano, Silvio Berlusconi, presidirá nesta quarta-feira seu primeiro conselho de ministros em Nápoles, no sul do país, com o objetivo de demonstrar a vontade de resolver a crise do lixo na região, em uma reunião que também adotará medidas contra a imigração ilegal.

"Com o dramático problema do lixo, Berlusconi coloca em jogo a credibilidade de seu governo", afirma um editorial desta terça-feira do jornal Il Corriere della Sera, que admite que a "imagem internacional do país se encontra horrivelmente desfigurada".

Apesar da situação do lixo ter melhorado nas últimas 24 horas e as ruas do centro de Nápoles terem sido limpas, os bairros da periferia estão submersos em montanhas de dejetos.

"Ninguém tem uma varinha mágica, o problema é sério. A população espera muito e não posso decepcioná-la", afirmou Berlusconi na véspera de sua viagem à Nápoles, uma cidade administrada pela esquerda que sofre ciclicamente há 14 anos de problemas com coleta de lixo.

Segundo o jornal econômico Sole-24 Ore, o governo conservador anunciará na quarta-feira uma série de medidas para reduzir as etapas necessárias para a construção de incineradores de dejetos, o que é criticado pela população devido à contaminação das terras e do ambiente, além da falta de controle.

O governo está estudando também a possibilidade de empregar terrenos militares como depósitos de lixo e nomear um secretário de Estado especial para lidar com o assunto.

Nove manifestações foram convocadas para quarta-feira devido à visita de Berlusconi, entre elas uma organizada pela Assembléia Regional dos Imigrantes, para protestar contra novas medidas contra a criminalidade e a imigração clandestina que serão adotadas.

Os ministros devem aprovar um pacote de medidas urgentes, entre elas uma que limita para dois anos a permanência na prisão de imigrantes sem visto antes da expulsão, em vez dos atuais 10 anos.

A imigração ilegal será considerada ainda uma circunstância agravante caso o indivíduo seja preso por outro crime, segundo a imprensa italiana.

O crime de imigração ilegal, que divide o governo de direita, deverá ser submetido em contrapartida à aprovação do Parlamento.

O ministro do Interior, Roberto Maroni, da xenófoba Liga Norte, assegurou que o pacote de segurança que será aprovado na quarta-feira irá entrar em vigor em julho.

Um clima antiimigrantes atinge várias regiões do país, em particular contra os ciganos, fazendo com que o Parlamento Europeu convocasse um debate extraordinárip sobre a situação da comunidade cigana na Itália.

bur-kv/fb/fp

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.