Caos aéreo deve durar dias, dizem autoridades europeias

Os problemas no espaço aéreo da Europa, causados pela nuvem de cinzas expelidas por um vulcão na Islândia, podem durar dias, segundo autoridades. Oficiais ouvidos pela BBC afirmam que as interrupções serão significativas pelo menos até sábado, mas que os serviços levarão mais tempo para voltar à normalidade.

iG São Paulo |

AP
Nuvem de cinzas é vista em cidade da Islândia

Nuvem de cinzas é vista em cidade da Islândia

"O tráfego terá que ser reorganizado e os voos planejados novamente", afirmou a Organização Civil de Navegação e Serviços Aéreos. "O efeito da nuvem de cinzas vulcânicas no norte da Europa deve atrapalhar o espaço aéreo europeu por vários dias".

A enorme nuvem de cinzas causada pela erupção de um vulcão islandês prorrogou até o fim de semana a paralisação do tráfego aéreo em boa parte da Europa, causando transtornos para milhões de passageiros em todo o mundo.

Especialistas temem que as cinzas contidas na fumaça entrem nos motores do avião entupindo as turbinas. Quando isso acontece, o motor para de funcionar em pleno voo. As cinzas, no entanto, não apresentam risco grave para a saúde das pessoas.

Aeroportos fechados

Após o fechamento de oito espaços aéreos na quinta-feira, devido aos céus tomados de fumaça, o vulcão islandês continuou a expelir cinzas, o que obrigou vários países a prolongar a medida.

O tráfego aéreo está completamente fechado na Bélgica, República Checa, Dinamarca, Estônia, Finlândia, Hungria, Holanda, Eslováquia e Suíça. Os serviços estão parcialmente interrompidos na Áustria, França, Alemanha, Itália, Lituânia, Noruega, Polônia, Irlanda, Suécia e Reino Unido.


Homem observa situação dos voos em aeroporto de Berlim, na Alemanha / AFP


A agência europeia Eurocontrol calculou em mais de 50% os voos cancelados no continente durante esta sexta. A entidade encarregada da segurança aérea espera que se realizem 12 mil voos contra os 28 mil previstos para um dia normal.

A paralisação do tráfego aéreo custa mais de US$ 200 milhões de dólares ao setor, segundo uma primeira estimativa "conservadora" da Associação Internacional de Transporte Aéreo (IATA).

A nuvem de cinzas "continua movendo-se para o leste e para o sudeste e seu impacto continuará durante pelo menos 24 horas", preveniu a Eurocontrol em um comunicado emitido em Bruxelas.

"Se as previsões para amanhã se mantiverem, a nuvem atingirá a Suíça e o norte da Itália, a Romênia, a Hungria, a Eslovênia e a Croácia em uma linha que vai diretamente para o leste", declarou, em Bruxelas, um especialista do Eurocontrol, Kenneth Thomas.

Na Polônia, apesar do fechamento dos aeroportos, as autoridades decidiram manter a celebração dos funerais do presidente Lech Kaczynski e de sua esposa, Maria, previstos no domingo nesta cidade do sul do país, onde são aguardadas delegações do mundo inteiro..

Erupção

A segunda erupção do vulcão da geleira de Eyjafjallajoekull em um mês começou na quarta-feira, lançando uma nuvem de fumaça a uma altura de 11 quilômetros na atmosfera. Uma fissura de 500 metros apareceu no topo da cratera. O calor do vulcão derreteu parte do gelo em volta, provocando enchentes na região na quarta-feira.

Cerca de 800 pessoas tiveram de deixar suas casas, mas as informações são de que, na quinta-feira, as águas tinham baixado. O vulcão, no entanto, continuou emitindo nuvens de poeira em direção à Europa.

Especialistas não sabem quanto tempo essa erupção deve durar. A última erupção vulcânica debaixo da geleira, antes desse ano, começou em 1821 e continuou por dois anos.

A Islândia é localizada em uma região propensa a erupções vulcânicas.


Clique aqui para ver o infográfico

* Com Reuters, AP, EFE e BBC Brasil

Leia também:


Leia mais sobre erupção vulcânica

    Leia tudo sobre: islândiavulcão

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG