Um cachorro foi levado à Justiça indiana sob acusação de causar tumulto. Autoridades policiais do Estado de Bihar, no leste da Índia, pediram punição severa ao cão, Chhotu, por distribuir mordidas entre a população.

Os vizinhos dizem que o animal já atacou diversas pessoas - a dona alega que foram apenas ladrões.

Não é a primeira vez que Chhotu se envolve em confusão com a Justiça. Pelo mesmo motivo, ele foi condenado à morte em 2003 - mas ativistas pelos direitos dos animais conseguiram reverter a decisão.

Ostentando seu melhor comportamento, Chhotu fez sua aparição em uma sala de audiências lotada na quinta-feira.

"A corte foi obrigada a emitir uma convocação ao cachorro uma vez que a polícia entendeu que ele é uma ameaça à paz, e que podia criar um problema à lei e à ordem", disse uma autoridade local, Rajiv Ranjan.

"Apesar da presença de tantas pessoas na sala de audiências, ele não mordeu ninguém nem latiu para ninguém", disse o advogado do lado canino, Dilip Kumar Deepak.

Chhotu foi convocado para comparecer diante de um juiz novamente no dia 5 de agosto, junto com sua dona, a viúva Rajkumari Devi.

Único protetor

O cão de 7 anos de idade foi salvo da rua pela mãe de Rajkumari Devi, Janaki. A dona original morreu há seis meses, e desde então é Rajkumari quem se responsabiliza pelo animal. Os dois dividem a mesma casa de um quarto.

"Chhotu é meu único protetor, eu o criei como se fosse meu próprio filho", disse Rajkumari. Ela insiste que o cão só atacou ladrões que tentaram invadir sua casa.

Seu advogado acusa os vizinhos de levantar falso contra o cão para tentar se livrar dele.

"Eles querem roubar os papéis da terra, que é a razão por que tentaram invadir a casa durante a noite. Mas tiveram de desistir após serem mordidos por Chhotu." O julgamento do caso continua.

Leia mais sobre cachorros

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.