PAMPLONA - Após oito dias de corridas diante dos touros e de muitos litros de vinho consumidos, milhares vozes entoaram juntas na madrugada desta quarta-feira o canto ¡Pobre de mí!, lamento coletivo que fecha os festejos de São Firmino e convida todos a voltar a Pamplona dentro de um ano.


Festejos são encerrados com as pessoas cantando "Pobre de mí" com os lenços vermelhos levantados / AFP


Fogos também marcaram o encerramento da festa nesta madrugada / AFP

A festa de 2010 será em 6 de julho, quando a praça central de Pamplona se vestirá de novo de branco e vermelho para honrar seu padroeiro São Firmino durante nove dias e nove noites.

Depois que o escritor americano e Prêmio Nobel de Literatura Ernest Hemingway popularizou mundialmente a festividade com o livro "O sol também se levanta" (1932), a cada ano milhares de pessoas de todo o mundo visitam Pamplona para a Festa de São Firmino.

Hemingway também o fez em várias ocasiões, a última há 50 anos, data lembrada na edição deste ano da festa, que teve uma série de atos em homenagem ao escritor com a presença de seu neto John Patrick.

Os americanos estão entre os estrangeiros mais presentes nas festas, junto aos franceses, embora também haja um grande número de britânicos, italianos, alemães e neozelandeses.

Leia também:

Leia mais sobre Festival de São Firmino

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.