Candidatos paraguaios prometem respeitar resultados

Apesar das preocupações da oposição e dos observadores internacionais, registradas durante a semana, os três principais candidatos à presidência no Paraguai afirmaram neste domingo de eleições que vão respeitar o resultado eleitoral, seja ele qual for. Hoje é um dia histórico, um dia democrático que temos que respeitar, disse o candidato e ex-bispo da Igreja Católica Fernando Lugo, da Aliança Patriótica para a Mudança (APC, na sigla em espanhol), pouco depois de votar acompanhado por Frei Beto.

BBC Brasil |

"Hoje é um dia especial, no qual graças à democracia, somos todos iguais. (...) E essa democracia deve ser respeitada", declarou a candidata do governo Blanca Ovelar, do Partido Colorado.

Os jornalistas locais voltaram a perguntar a Ovelar sobre a legitimidade de sua candidatura, questionada pelo ex-vice-presidente da República, Luis Castiglioni, que disse ter sido derrotado por fraude na interna do partido que está há 61 anos, ininterruptos, no poder.

"Reitero, venci de forma legitima", afirmou Ovelar.

O general da reserva Lino Oviedo, do UNACE (União Nacional de Cidadãos Éticos), pediu aos eleitores que votem e recebam o resultado com a "paciência paraguaia".

Recontagem
Mas apesar destas declarações dos presidenciáveis, o vice-presidente do Tribunal Superior de Justiça Eleitoral (TSJE), Juan Manuel Morales, não descartou que representantes da candidatura de Lugo, favorito, segundo pesquisas de opinião, peçam a recontagem dos votos.

Quase cinco horas após a abertura das urnas, às sete da manhã, foram registrados incidentes isolados.

Um jovem foi preso com um punhal no colégio República Dominicana de Fernando de La Mora, em Assunção, onde Lugo acompanhava a votação de seu candidato a vice, Federico Franco.

Segundo o jornal Última Hora, em sua edição online, o jovem teria alegado que estava armado para "defender o ex-bispo dos insultos dos colorados", os seguidores do Partido Colorado.

Ali, alguns eleitores vaiaram o presidenciável. "As vaias dos colorados fazem parte do processo democrático", disse Lugo.

Na noite da véspera, eleitores "colorados" entraram numa igreja, onde era realizada uma missa, e gritaram contra seguidores do ex-bispo.

Neste domingo, após votar as sete da manha, Lugo participou de uma missa, acompanhado de Frei Beto.

"Somos amigos, comungamos as mesas teses e convicções (...). Acho que a relação Lugo-Lula será excelente", disse Frei Beto.

Quando perguntado sobre uma das principais propostas de Lugo, de revisão do tratado da hidrelétrica binacional de Itaipu, ele respondeu que apóia a iniciativa do paraguaio.

"Claro, porque é um tratado assinado durante ditaduras e o preço é injusto. Então, acho que deve ser renegociado".

As urnas foram abertas às sete da manhã, mas com atrasos em alguns pontos de votação, como no colégio Alvarim Romero, no bairro de Villa Mora, onde votou Oviedo.

A previsão é de que a votação terminará às 16h no horário local e que os primeiros resultados deverão ser divulgados depois das 20h (21hs no horário de Brasília).

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG