Saint Louis (EUA), 2 out (EFE).- Os candidatos à Vice-Presidência dos Estados Unidos, o democrata Joe Biden e a republicana Sarah Palin, discordaram hoje em seu debate sobre como enfrentar os atuais problemas da economia no país.

No esperado debate, realizado na Universidade George Washington, em San Luis, no estado do Missouri, os candidatos criticaram mutuamente seus planos para a redução de impostos.

Palin afirmou que é necessário manter os cortes de impostos atuais para impulsionar a economia e ajudar na criação de empregos.

Já Biden disse que ele e seu companheiro de chapa, Barack Obama, cortarão os impostos que contarem com receita inferior a US$ 250 mil anuais, "o que representa as taxas de 95% da população", mas aumentarão os dos mais ricos e das grandes empresas.

Segundo o senador por Delaware, isso fará "justiça para o motor da economia nos Estados Unidos: a classe média".

"Quando a classe média prospera, os Estados Unidos prosperam", afirmou o democrata.

Palin respondeu que esse plano "esquece milhões de pequenas empresas" que veriam seus impostos aumentar e sua produtividade cair.

"Nem sempre o Governo representa a solução, mas com freqüência é o problema. Devemos deixar que o setor privado cresça e prospere", afirmou a republicana.

Biden e Palin comentaram também o plano de resgate do sistema financeiro que o Congresso americano debate esta semana e que está avaliado em cerca de US$ 700 bilhões.

Os dois aspirantes defenderam sua aprovação para enfrentar uma paralisia no sistema de crédito que ameaça se estender à economia familiar.

A governadora do Alasca afirmou que "há medo entre as famílias dos Estados Unidos".

"A economia está enfraquecida, é necessária uma reforma e John McCain, o candidato presidencial republicano, é quem pode oferecê-la", disse.

Biden declarou que "é necessário uma mudança fundamental no foco da política econômica", para que se concentre na classe média. EFE mv/mh

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.