Candidatos à Casa Branca agora só têm um mês para convencer os eleitores

A longa campanha presidencial norte-americana entra em sua fase decisiva em um contexto de grave crise financeira: para o democrata Barack Obama, favorito nas pesquisas, e para o republicano John McCain só resta um mês para convencer uma opinião pública sempre muito versátil.

AFP |

O senador democrata pelo Illinois tem o vento a favor após a divulgação de várias pesquisas que dão a ele a maioria das intenções de voto em nível nacional e nos principais estados-chave, como Ohio, Flórida e Pensilvânia.

Depois de 1960 nenhum candidato chegou à Casa Branca sem vencer em pelo menos dois desses estados.

"Se os próximos 34 dias se parecerem com os últimos 34, vivermos numa montanha russa nas pesquisas", considerou Neil Newhouse, diretor de pesquisas da rede de TV NBC News.

Tradicionalmente, o mês que antecede a eleição presidencial é propício para o que os comentaristas chamam de "as surpresas de outubro", que podem modificar o cenário.

Vários dirigentes do Partido Republicano pediram que seu candidato elevasse o tom contra seu adversário democrata. O presidente do Partido Republicano no Tennessee, Robin Smith, afirmou que os eleitores republicanos queriam "ver um gladiador" que enfrente Obama.

Smith sugeriu que a equipe de McCain insista nos supostos vínculos do senador Obama com várias personalidades controvertidas, entre elas seu ex-pastor Jeremiah Wright, acusado de ter feito declarações anti-americanas e encarado com desconfiança por uma parte do eleitorado branco; o empresário Tony Rezko, condenado por corrupção; ou o ex-militante de extrema esquerda Bill Ayers.

Obama, de 47 anos, poderá se tornar o primeiro presidente negro dos Estados Unidos e o fator racial é uma das grandes incógnitas destas eleições. Segundo uma sondagem do Yahoo News, Obama poderia receber seis pontos percentuais a mais se não existissem problemas com o eleitorado branco.

Se for eleito, McCain, de 72 anos, seria o presidente em idade mais avançada dos Estados Unidos no momento de assumir o cargo. Com ele, chegaria à vice-presidência a primeira mulher, Sarah Pallin.

O primeiro debate realizado na sexta-feira, o último entre ambos os presidenciáveis, não deixou um vencedor claro, mas Barack Obama, menos experiente que seu rival, confirmou sua capacidade, segundo a imprensa norte-americana.

Os candidatos tornarão a se encontrar nos dois últimos debates, de 7 de outubro em Nashville (Tennessee) e do dia 15 em Hempstead (Nova York). Os candidatos à vice-presidência, Sarah Pallin e Joe Biden, debaterão nesta quinta-feira diante das câmeras de televisão em St. Louis.

A eleição presidencial é disputada em cada estado e o resultado desta poderá ser decidido em alguns deles.

Em vários estados, entre eles Ohio, que foi decisivo em 2004, os eleitores têm a possibilidade de votar antecipadamente e começaram a fazê-lo desde terça-feira. Trinta e um dos 50 estados permitem esse tipo de voto antecipado. Segundo Paul Gronke, um especialista em assuntos eleitorais, um terço dos eleitores poderão se decidir pouco antes de 4 de novembro.

A maioria dos estados registrará eleitores até 6 de outubro. Vários estados-chave registraram centenas de milhares de novos inscritos e a maioria desses novos eleitores se inscreveu como democrata. Em 2004 um fenômeno parecido foi registrado, mas muitos dos novos inscritos não compareceram às urnas no dia da votação.

aje/dm

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG