Candidato diz que véu favorece fraude em eleição mauritana

Nuakchott, 18 jul (EFE).- O candidato islâmico às eleições presidenciais de hoje na Mauritânia, Mohammed Yemil Ould Mansur, disse que o véu facial usado pelas eleitoras mauritanas que vivem na Arábia Saudita dificulta a identificação deles e favorece a fraude eleitoral.

EFE |

Um comunicado divulgado hoje pelo escritório de campanha de Yemil diz que "certas violações foram detectadas (na Arábia Saudita) desde as primeiras horas de votação, principalmente por causa da não verificação da identidade de algumas mulheres com véu".

Segundo a nota, "mulheres foram autorizadas a votar" sem que suas carteiras de identidade ou passaportes tenham sido verificados, o que permitiu que várias delas portassem documentos que não os seus.

Grande parte dos mauritanos que vivem na Arábia Saudita vive nesse país em situação ilegal.

Yemil também reclamou da "não utilização de tinta inapagável, o que abre a porta para que muitas pessoas votem mais de uma vez, principalmente as mulheres com véu". EFE mo/sc

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG