Roma, 4 abr (EFE).- O candidato a primeiro-ministro do Partido Democrata italiano, Walter Veltroni, disse hoje que, se vencer as eleições gerais de 13 e 14 de abril, vai erguer um muro político para aniquilar a máfia.

"Somos uma força de Governo que quer aniquilar os poderes criminosos que absorvem energias desta terra. Temos que erradicar deste país a Camorra, a Cosa Nostra e a Ndrangheta (máfia calabresa)", afirmou Veltroni durante um comício na região de Campânia, no sul do país e um dos redutos do crime organizado.

Durante o discurso que fez, Veltroni declarou: "Que a máfia eleja em quem votar, mas que não vote pelo Partido Democrata. Não queremos o voto dela".

Para acabar com o poder das organizações mafiosas, que estão propagadas sobretudo no sul da Itália, Veltroni deu hoje sua receita: um projeto de lei que tentará implementar se chegar ao poder.

Segundo Veltroni, sob sua gestão, a máfia será combatida garantindo uma verdadeira tutela aos empresários e empresas que sucumbiram à extorsão mafiosa e que decidirem denunciá-la.

O candidato também disse que pretende proibir as ajudas ou o financiamento do Estado aos que foram condenados por crimes de máfia.

A receita de Veltroni prevê ainda o reforço dos tribunais que funcionam nas regiões da Itália mais expostas ao controle da máfia e a criação de novas leis que facilitem o confisco dos bens dos mafiosos também em caso de morte, e não apenas nos de detenção.

"A política deve levantar um muro com medidas que permitam uma luta sem quartel contra a máfia porque muito sangue ainda continua sendo derramado", acrescentou. EFE ccg/sc

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.