Candidato à Presidência de Honduras denuncia agressões a opositores

Tegucigalpa, 14 ago (EFE).- O candidato à Presidência de Honduras César Ham, do esquerdista Partido Unificação Democrática, disse hoje que estuda retirar sua candidatura pelas agressões que membros dessa legenda são vítimas.

EFE |

O político, atualmente deputado no Parlamento de Honduras, disse que durante a crise que afetou o país após o golpe de Estado contra o presidente Manuel Zelaya teve início uma campanha de repressão, ameaças e morte de alguns integrantes da Unificação Democrática (UD).

Em entrevista, ele acrescentou, sem dar detalhes, que vários membros do partido foram detidos durante a crise, que começou em 28 de junho com a deposição de Zelaya.

O candidato da UD é seguidor de Zelaya, que chegou ao poder em 27 de janeiro de 2006 depois de vencer as eleições gerais de novembro de 2005 à frente do conservador Partido Liberal.

Depois do golpe de Estado contra Zelaya, Ham se reuniu com o governante deposto na Nicarágua, um encontro criticado pelos membros da UD que não apoiam o presidente deposto.

As próximas eleições gerais em Honduras estão previstas para 29 de novembro e, segundo alguns membros da UD, não se descarta uma aliança política com representantes de outros setores que respaldam Zelaya, mas Ham não fez comentários sobre isso. EFE gr/db

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG