Londres, 2 jul (EFE).- Dois hospitais britânicos puseram em prática um tratamento pioneiro do câncer de próstata com ultra-sons, o que evita as intervenções cirúrgicas.

Os doentes recebem anestesia geral e são submetidos a ultra-sons de alta intensidade, que geram temperaturas de entre 80 e 90 graus centímetros e matam com precisão as células cancerosas.

O novo tratamento foi utilizado em 172 pacientes do sexo masculino, e 78% deles puseram voltar para casa cinco horas depois do tratamento, informa hoje o "British Journal of Câncer".

Além disso, 159 desses pacientes foram examinados um ano mais tarde, e em 92% dos casos não foi detectado nenhum novo sinal da doença.

O tratamento aconteceu no University College Hospital e no Princess Grace Hospital, ambos de Londres.

Segundo o médico Hashem Ahmed, que dirigiu o estudo, "a técnica de ultra-sons pode um dia chegar a desempenhar um importante papel no tratamento dos doentes de por câncer de próstata precoce, com menores efeitos colaterais".

No entanto, Ahmed se mostrou prudente ao assinalar que é preciso realizar mais estudos com mais números de pacientes para comparar os tratamentos.

"Não sabemos ainda se esta técnica é mais eficaz que os tratamentos tradicionais, por isso é importante realizar novos estudos", afirmou. EFE jr/mh

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.