Panamá, 1 mai (EFE).- A Autoridade do Canal do Panamá (ACP) anunciou hoje que pediu aos navios que cruzem a via interoceânica para aplicar medidas para prevenir a propagação da gripe suína.

O órgão informou, em comunicado, que "esta semana" enviou aos clientes uma circular que contém "as medidas que os navios que transitam pela via aquática deverão observar para prevenir o contágio" da doença.

Uma delas é que, antes de chegar às águas do Canal do Panamá, os navios informem se algum dos portos de parada visitados está "em países identificados pela Organização Mundial da Saúde (OMS) com surtos do vírus" da gripe, indicou.

Também devem informar, disse, sobre "se os passageiros ou membros da tripulação a bordo estão experimentando sintomas da gripe, como febre alta, tosse, cansaço, forte dor de cabeça, náuseas ou falta de apetite, e qual foi a evolução destes sintomas".

A ACP citou entre os países identificados como apresentando surto do vírus AH1N1 o México, Canadá, Estados Unidos, Espanha, Alemanha, Nova Zelândia e Reino Unido.

Quanto a isso, pediu que os capitães de navios consultem "diariamente" os sites da OMS e da Organização Pan-Americana da Saúde (Opas) "para verificar se foram identificados novos países que estejam tendo surtos deste vírus".

Ele advertiu de que os navios "que reportarem qualquer das condições mencionadas anteriormente poderiam ser sujeitos a medidas de saúde que podem incluir (...) que as autoridades sanitárias subam a bordo da embarcação para verificar o que declararam", mas outras ações poderão ser executadas.

A ACP ressaltou que também implementou medidas internas de prevenção para garantir que o pessoal que, por razão das funções, sobe aos navios "não representa um risco aos tripulantes quanto à propagação do vírus". EFE lam/db

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.