Um canal de televisão da Bolívia exibiu, nesta quinta-feira, imagens de vários turistas que saíam em debandada, na noite de terça, do presídio de San Pedro, em La Paz, lugar de um circuito turístico clandestino, onde os estrangeiros conseguem drogas.

O "tour" é promovido com folders distribuídos em pontos turísticos, com a pergunta "Quer visitar a famosa prisão de San Pedro?", em inglês, e um número de telefone, que foi desativado após o início das investigações.

A emissora privada Uno disse que as imagens de cerca de 40 estrangeiros, deixando o presídio por uma porta lateral, foram gravadas na terça à noite, entre 21h30 e 22h (hora local), fora do horário estabelecido para visitação.

Os turistas - que teriam sido alertados previamente, de acordo com a rede Uno - fugiram do repórter, quando viram as câmeras na saída do presídio, e correram para todos os lados.

Em sua defesa, o diretor do estabelecimento penitenciário, Jorge López, garantiu que já abriu uma investigação interna, mas não descartou que a visita tenha sido feita a alguns dos cerca de 100 detentos estrangeiros.

O caso de San Pedro, em pleno centro de La Paz, considerado "o presídio mais louco do mundo" pelo australiano Rusty Young, que escreveu um livro sobre o lugar, veio à tona no final de fevereiro, em uma matéria no jornal "La Razón".

De acordo com o veículo, os estrangeiros podem fazer um "tour" de uma hora, por 35 dólares, e até conseguir droga, feita dentro do próprio presídio.

Os turistas compram artesanato feito pelos presos e até cocaína, como apurou "La Razón". Dos 35 dólares do passeio, 70% vão para os policiais e as pessoas que recrutam os estrangeiros, e 30%, para os detentos.

rb/tt

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.