Canadense lança pílula milagrosa contra doenças cardiovasculares

Washington, 30 mar (EFE).- Um médico canadense anunciou hoje a criação de uma pílula que combina cinco tipos de medicamento e que, segundo ele, reduz pela metade os problemas cardiovasculares.

EFE |

Em uma apresentação em Orlando, no estado americano da Flórida, o médico Salim Yousef disse que tomando como base a aspirina, a nova pílula combina três remédios para reduzir a pressão com uma estatina para reduzir o colesterol.

Além de seu poder analgésico, testes clínicos comprovaram que a aspirina também reduz as inflamações e atua como anticoagulante que auxilia na prevenção de problemas circulatórios.

A pílula administrada apenas uma vez ao dia pode reduzir pela metade o risco de doenças cardíacas e os problemas apopléticos, afirmou Yousef, cardiologista da Universidade McMaster, em Hamilton, no Canadá.

"Se levado em conta que cada componente da 'polipílula' pode reduzir o risco de doenças cardíacas e apoplexias em 25%, se pode conseguir pelo menos o dobro com os cinco componentes", assegurou.

Em declarações ao site especializado "WebMd", James Stein, cardiologista da Universidade de Wisconsin, disse que a grande vantagem da pílula diária é "sua simplicidade".

Segundo ele, quanto mais pílulas são necessárias ser administradas a uma pessoa, menos são as possibilidades de que finalmente todas sejam usadas.

O médico afirma que polipílula será uma vantagem nesse sentido e também não será cara demais, pois todos seus componentes são de venda livre e genérica no mercado.

Em sua apresentação, Yousef contou que a polipílula foi testada em mais de duas mil pessoas com pelo menos um fator de risco cardíaco, como obesidade, alta pressão sanguínea e colesterol alto.

No entanto, nem todos estão muito entusiasmados com a inovação de Yousef, conforme afirma o site "WebMD".

"O que é necessário é uma estratégia geral na prevenção das doenças cardíacas, não somente pílulas", disse Daniel Jones, ex-presidente da Sociedade Americana de Cardiologia e professor da Escola de Medicina da Universidade do Mississipi.

Segundo ele, é possível "conseguir os mesmos resultados com um estilo de vida que destaque a dieta e os exercícios" e são necessários mais testes com o lançamento de Yousef. EFE ojl/rr

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG