Canadense é condenado por elo com plano de atentado no Reino Unido

Toronto (Canadá), 29 out (EFE).- Um juiz declarou hoje o canadense Mohammad Momin Khawaja culpado de pertencer a um grupo terrorista que tinha como objetivo provocar atentados com explosivos no Reino Unido.

EFE |

Cinco pessoas que em abril de 2007 foram condenadas à prisão perpétua no Reino Unido, por planejar atentados em uma discoteca de Londres e em um centro comercial nos arredores da cidade, pertenciam ao mesmo grupo de Khawaja.

No entanto, o juiz Douglas Rutherford disse que a Promotoria canadense não conseguiu provar que Khawaja, um técnico de informática de 29 anos que foi detido há quase cinco anos em Ottawa, tivesse conhecimento direto dos planos do grupo.

O advogado de Khawaja, Lawrence Greenspon, disse, após conhecer a sentença, que o veredicto foi uma vitória.

Khawaja poderia ser condenado à prisão perpétua, mas o sistema jurídico canadense permite que solicite a liberdade condicional depois de alguns anos.

O jovem, que trabalhou com sistemas informáticos na Chancelaria canadense antes de viajar ao Paquistão para receber treinamento em um acampamento de militantes, é o segundo de seu país a ser julgado sob as novas leis antiterroristas aprovadas após os atentados de 11 de setembro de 2001. EFE jcr/rr

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG