Canadense é condenado a 10 anos de prisão por terrorismo

Toronto (Canadá), 12 mar (EFE).- Um juiz condenou o canadense Mohammad Momin Khawaja a 10 anos e meio de prisão por pertencer a um grupo terrorista que tinha como objetivo perpetrar atentados no Reino Unido.

EFE |

Khawaja, de 29 anos, é o primeiro canadense condenado sob as leis antiterroristas instauradas no país após os atentados de 11 de Setembro, informaram hoje fontes do Tribunal Superior de Ontário.

No dia 29 de outubro, o juiz Douglas Rutherford, do Tribunal Superior de Ontário, tinha considerado Khawaja culpado de pertencer a esse grupo terrorista britânico, integrado por outras cinco pessoas que em 2007 foram condenadas à prisão perpétua no Reino Unido.

O grupo tinha planejado atentados em uma discoteca de Londres e em um centro comercial nos arredores da capital britânica.

O jovem foi detido em Ottawa, em 2003, e já trabalhou como analista de sistemas do Ministério de Assuntos Exteriores canadense.

Segundo a Promotoria, Khawaja desenvolveu para o grupo terrorista um dispositivo denominado "hi-fi digimonster", que deveria servir para ativar explosivos à distância.

No entanto, o juiz determinou que não foi possível provar que Khawaja sabia que seu aparelho seria utilizado para detonar as bombas de Londres.

Os promotores canadenses também acusaram Khawaja de viajar ao Paquistão para receber treinamento em acampamentos de extremistas islâmicos. EFE jcr/mh

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG