Canadá manda deportar soldado americana que desertou de unidade no Iraque

Toronto (Canadá), 7 jan (EFE).- As autoridades canadenses ordenaram hoje a deportação de Kimberly Rivera, uma soldado americana que desertou de sua unidade e fugiu para o Canadá, depois de passar vários meses no Iraque.

EFE |

Rivera, que mora em Mesquite, no Texas, se refugiou no Canadá em 18 de fevereiro de 2007 junto com o marido e os três filhos para buscar "novas oportunidades e esperança" para a "família".

Um tribunal de imigração ordenou hoje que Rivera deixe o Canadá no dia 27 de janeiro.

A soldado tinha pedido às autoridades canadenses para permanecer no país, principalmente já que sua filha mais nova, Katie Marie, nasceu no Canadá.

Rivera, a primeira soldado americana a se refugiar no Canadá, segundo o grupo canadense Campanha de Apoio aos Resistentes à Guerra, é o sétimo membro das Forças Armadas dos Estados Unidos a ser forçada a abandonar o país.

No site do grupo de apoio aos desertores, Rivera escreveu que, durante seu destino em Bagdá, em 2006, era encarregada de guardar a entrada de sua base, "revistando veículos, civis e comboios militares".

"Após tomar consciência sobre a vida dos civis que não podem escapar do trauma ou da dor e da perda de quem amam, vi a verdade e não foi agradável. As pessoas perdendo as vidas pela avareza de uma nação", escreveu Rivera. EFE jcr/db

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG