Toronto (Canadá), 20 jan (EFE).- O Canadá expulsou o acadêmico americano William Ayers, acusado pela governadora do Alasca, Sarah Palin, de ser um terrorista amigo de Barack Obama, informou hoje a imprensa local.

O jornal "The Globe and Mail" disse em sua edição de hoje que Ayers, de 64 anos, foi expulso do país após chegar no domingo à noite ao aeroporto da ilha de Toronto.

O acadêmico tinha previsto participar de uma conferência sobre educação.

Ayers e Obama trabalharam ao mesmo tempo no conselho de administração de uma organização sem fins lucrativos, o que foi utilizado durante a campanha eleitoral americana, primeiro pela senadora Hillary Clinton e depois por Palin, para atacar o agora presidente americano.

O jornal canadense disse que Ayers, professor da Universidade de Illinois em Chicago, expressou seu desagrado quando agentes do Serviço Fronteiriço do Canadá lhe impediram de entrar no país.

"Parece muito arbitrário. O agente me disse que eu tinha uma condenação em 1969 por um crime grave. Fui detido várias vezes por crimes menores não graves", disse Ayers, que também assinalou que visitou o Canadá em diversas ocasiões e que só teve problemas uma vez em 2005.

Ayers foi um dos fundadores do grupo Weather Underground, que nos anos 70 perpetrou atentados terroristas nos Estados Unidos contra instituições oficiais para protestar contra a Guerra do Vietnã.

Em 1970, três integrantes do grupo, entre eles a namorada de Ayers, morreram quando a bomba que estavam montando explodiu acidentalmente. EFE jcr/mh

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.