Canadá diz que Cuba tem de aceitar democracia para voltar à OEA

Toronto (Canadá), 5 jun (EFE).- O Governo do Canadá disse hoje que Cuba tem de aceitar as práticas e princípios democráticos para voltar à Organização dos Estados Americanos (OEA), que derrubou esta semana a suspensão que pesava contra a ilha.

EFE |

O Executivo também advertiu que está "gravemente preocupado" com a situação da democracia na Nicarágua, Honduras e, em menor medida, Guatemala.

O secretário de Estado do Canadá para Assuntos Exteriores no continente americano, Peter Kent, disse hoje durante que "a eventual reintegração (de Cuba) com completa participação estará condicionada à aceitação das práticas e princípios democráticos da OEA".

Kent disse ontem em comunicado que o Canadá tinha participado ativamente do acordo que permitiu derrubar a suspensão contra Cuba imposta pela OEA em 1962 e que Ottawa apoiava totalmente a iniciativa.

A declaração de Kent parecia contradizer declarações prévias do porta-voz do primeiro-ministro canadense, Stephen Harper, nas quais afirmou que Cuba não poderia voltar à OEA enquanto não se transformasse democraticamente.

"Não houve nenhuma mudança na posição do Canadá", afirmou Kent, que também revelou que a resolução para derrubar a suspensão de Cuba aconteceu após longas negociações. EFE jcr/mh

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG