Canadá divulga 1º vídeo de interrogatório em Guantánamo

Advogados canadenses divulgaram o primeiro vídeo de um interrogatório de um detento na prisão de uma base militar dos Estados Unidos na baía de Guantánamo, em Cuba. As imagens mostram Omar Khadr, um cidadão canadense de 16 anos, sendo interrogado por agentes canadenses, em 2003, sobre acontecimentos ocorridos antes de sua captura por forças americanas.

BBC Brasil |

Khadr é acusado de ter lançado uma granada que matou um soldado americano durante um tiroteio no Afeganistão em 2002.

Há notícias de que ele foi interrogado por sete horas e meia durante três dias.

Khadr aparece chorando, escondendo o rosto com as mãos. Em dado momento ele diz aos funcionários do Ministério do Exterior e agentes do Serviço de Inteligência da Segurança do Canadá que foi torturado na base militar americana em Bagram, no Afeganistão, onde foi detido inicialmente após sua captura.

Pode se ouvir Khadr dizendo repetidamente: "Ajude-me."
Ele levanta sua camisa de cor laranja para mostrar os ferimentos e diz: "Vocês não se importam comigo."
Indignação
O vídeo foi divulgado pelos advogados de Khadr depois de uma decisão da Suprema Corte em maio que obrigou o governo canadense a disponibilizar provas de acusações feitas contra o prisioneiro, para que ele possa ter uma defesa apropriada.

O vídeo foi feito secretamente, com uma câmera oculta em uma grelha do sistema de ventilação.

Um dos advogados de Khadr, Dennis Edney, disse esperar que o vídeo crie indignação no Canadá e pressione o premiê Stephen Harper a exigir que os Estados Unidos não processem o seu cliente.

Harper disse que não pretendia interferir no julgamento de Khadr por um tribunal militar em Guantánamo, marcado para começar no dia 8 de outubro.

Khadr, que hoje está com 21 anos, enfrentará várias acusações, entre elas a de assassinato. Ele corre o risco de ser condenado à prisão perpétua.

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG