Canadá condena golpe de Estado em Honduras, mas não pede volta de Zelaya

Toronto (Canadá), 28 jun (EFE).- O Governo canadense condenou neste domingo o golpe de Estado contra o presidente hondurenho, Manuel Zelaya, e solicitou uma solução pacífica para a atual crise política no país.

EFE |

No entanto, o Canadá (que há várias semanas criticou o presidente Zelaya por sua intenção de reformar a constituição hondurenha e insinuou dúvidas sobre sua vocação democrática) não solicitou a volta ao poder do presidente, que nas últimas horas foi expulso do país pelos militares hondurenhos.

O secretário de Estado para o continente americano, Peter Kent, emitiu um comunicado no qual se limitou a assinalar que o Canadá "solicita a todas as partes que se mostrem comedidas e que busquem uma solução para a atual crise política que respeite as normas e a lei, incluindo a constituição hondurenha".

O comunicado de Kent, que em nenhum momento menciona por nome o presidente Zelaya, acrescentou: "Estamos gravemente preocupados pelo que aconteceu em Honduras".

Kent também recomendou "prudência" aos canadenses que vivem em Honduras.

O Ministério de Assuntos Exteriores do Canadá aconselhou os canadenses que não viajem para Tegucigalpa a menos que seja imprescindível.

Desde a chegada ao poder em 2006 do primeiro-ministro conservador Stephen Harper, o Governo canadense mostrou sua frieza em relação aos países "esquerdistas" da região, especialmente Venezuela, Bolívia, Nicarágua e Honduras durante o mandato de Zelaya.

No começo de junho, Kent citou estes dois últimos países quando disse que o Canadá estava preocupado com a democracia na América Central. EFE jcr/ma

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG