Camponeses chineses queimam prédios oficiais em protesto por morte de jovem

Pequim, 29 Jun (EFE) - Cerca de dez mil camponeses atearam fogo a prédios governamentais e destruíram veículos na província de Guizhou (sudoeste), em protesto contra a investigação da morte de uma jovem estudante, informaram hoje fontes de direitos humanos e a agência de notícias Xinhua. Segundo a organização Center for Human Rights and Democracy, com sede em Hong Kong, uma pessoa morreu no confronto e outras 150 foram detidas pelas forças de segurança, o que não pôde ser confirmado. A revolta ocorreu no distrito de Wengan no sábado à noite, quando milhares de pessoas se dirigiram aos prédios governamentais para protestar e entraram em choque com as forças paramilitares, informa o site sin.com.

EFE |

cn".

Testemunhas disseram à ONG que pelo menos 12 pessoas teriam ficado feridas.

Os camponeses protestavam contra a investigação sobre o estupro e morte de uma estudante de 16 anos que, segundo seus parentes, desapareceu após receber uma ligação de três homens, dois deles relacionados com as forças de segurança locais.

Estes três homens foram interrogados e liberados depois de 24 horas, o que causou a ira dos residentes de Weng'an. EFE mz/db

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG