Camponês constrói canhão para evitar expropriação de terras na China

Homem não quer abandonar área de 16 mil metros quadrados na qual cultiva algodão e árvores frutíferas e cria vacas e peixes

EFE |

Um camponês chinês na província de Hubei (centro do país) construiu um canhão caseiro com um carrinho de mão, encanamentos e fogos de artifício para afugentar as autoridades que querem expropriar suas terras, o que já conseguiu fazer duas vezes, segundo um jornal da região.

Segundo o "Diário Comercial do Yang Tsé", Yang Youde usou com artilharia caseira e lançou seus tiros de canhão, conseguindo assim fazer com que funcionários do governo local que visitaram o local tenham fugido duas vezes desde o início do ano.

Yang, que vive em um distrito rural nos arredores da capital provincial, Wuhan, não quer abandonar uma área de 16 mil metros quadrados na qual cultiva algodão e árvores frutíferas e cria vacas e peixes.

Na China, todas as terras, sem exceção, são de propriedade estatal, mas o Governo a dá em usufruto. No caso de Yang, o contrato era válido até 2029, segundo o jornal.

No entanto, como ocorre muitas vezes na China, o Governo local decidiu expropriar terras para realizar um projeto imobiliário ou industrial, oferecendo uma compensação que, segundo Yang, é insuficiente.

O canhão fabricado pelo camponês pode lançar projéteis a uma distância de 100 metros, e, segundo as autoridades locais, poderia custar a Yang entre 10 e 15 dias de prisão, porque a lei nacional proíbe a fabricação e uso de explosivos sem licença.

A história de Yang lembra casos ocorridos em anos anteriores, quando proprietários de casas na China se agarraram a elas com unhas e dentes durante semanas ou inclusive meses apesar de pressão das autoridades.

    Leia tudo sobre: chinacanhão

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG