Campanhas de Obama e McCain contra-atacam minutos após término do debate

Washington, 26 set (EFE). Apenas alguns minutos após terminar o primeiro debate presidencial, a campanha do republicano John McCain contra-atacou com um vídeo com as concessões feitas a ele por Barack Obama, enquanto os democratas puseram em evidência as contradições do republicano no tête-à-tête.

EFE |

A campanha republicana enviou um vídeo aos meios de imprensa, que foi colcoado no YouTube, no qual são reproduzidas as três vezes em que Obama afirmou no debate que o senador McCain "está absolutamente correto".

No vídeo, intitulado "Absolutamente Certo", a campanha republicana se pergunta se Obama está preparado para liderar o país, depois que o candidato democrata deu razão a McCain em que é necessário infundir uma maior responsabilidade ao Governo, cortar as despesas desnecessárias, e ser prudente quando o presidente fala de invadir outro país.

Obama também deu razão a McCain quando este disse que os impostos são altos nos EUA, destaca a campanha republicana.

Os democratas, ao contrário, remeteram vários comunicados com as supostas contradições e erros nos quais o candidato republicano incorreu.

Assim, lembraram que McCain votou 23 vezes contra investir em energias renováveis, apesar de no debate ter dito que sempre tinha apoiado esta estratégia, e que o republicano participou de menos audiências no Senado sobre o Afeganistão que Obama, apesar de se considerar um especialista no tema.

Além disso, destacaram que, apesar de suas afirmações sobre a atual administração Bush, McCain votou a favor de suas políticas em 90% dos casos e que respaldou o presidente na Guerra do Iraque.

Como era de se esperar, as campanhas de ambos os candidatos cantaram imediatamente vitória para seus respectivos líderes.

Para os democratas, "a vitória de Barack Obama sobre John McCain é clara", porque o republicano "não ofereceu outra coisa além das mesmas políticas fracassadas de George W. Bush", enquanto Obama expôs sua política de "mudanças em economia e em política externa".

"Enquanto o senador McCain quer manter os grandes cortes de impostos para corporações e não diz nada sobre os desafios que os americanos enfrentam em sua vida diária, Barack Obama é um decidido defensor dos cortes tributários para a classe média, e propõe um seguro de saúde acessível e uma economia que criará milhões de postos de trabalho".

O diretor da campanha de Obama, David Plouffe, acrescentou que, "enquanto a política externa se supunha que era o tema forte de John McCain, Barack Obama dominou essa parte do debate com um apelo claro para terminar responsavelmente uma guerra equivocada no Iraque e para que possa terminar a luta contra a Al Qaeda no Afeganistão".

A senadora democrata e ex-aspirante à Casa Branca, Hillary Clinton, que fez 22 debates com Obama, disse que o candidato demonstrou esta noite "sem dúvida que entende a gravidade da crise financeira e os desafios que o país enfrenta no Iraque e no resto do mundo".

O diretor de comunicação da campanha de McCain, Jill Hazelbaker, destacou que esta noite se viu "um homem presidencial, John McCain e outro político, Barack Obama".

Na sua opinião, McCain "ganhou o debate e controlou o diálogo todo o tempo, tanto na economia, como nos impostos, nas despesas, Iraque ou Irã.

E Barack Obama "o reconheceu quando disse, pelo menos 5 vezes, que John McCain tinha razão".

Para o diretor de comunicação, o debate desta noite demonstrou que McCain "controla os temas e apresenta uma agenda clara para o futuro dos Estados Unidos". EFE pgp-mla/ma

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG