Campanha presidencial paraguaia chega à reta final

ASSUNÇÃO - Os candidatos a presidente do Paraguai se preparam, nesta quinta-feira, para encerrar suas campanhas para a eleição de domingo, na qual um ex-bispo pode pôr fim a mais de seis décadas de hegemonia do centro-direitista Partido Colorado.

Redação com agências internacionais |

Não há segundo turno no Paraguai, de modo que o candidato com mais votos no domingo será eleito.

O ex-sacerdote Fernando Lugo, candidato por uma coalizão de centro-esquerda, lidera as pesquisas com uma pequena vantagem sobre a governista Blanca Ovelar. O vencedor toma posse em 15 de agosto.

A oposição afirma que o governo prepara uma fraude, embora observadores internacionais digam que as condições eleitorais estão normais.

A tensão cresceu nesta semana, quando o presidente Nicanor Duarte Frutos alertou sobre a presença de grupos de agitadores estrangeiros, supostamente próximos a Lugo, que estariam interessados em causar incidentes no domingo.

'Essa guerra suja não teve efeitos, acho que a cidadania paraguaia hoje é diferente de há 10 ou 5 anos. Houve mudanças na mentalidade de muita gente, especialmente mudanças políticas', disse Lugo na quinta-feira ao canal 13 local.

'Estou com esperança, há uma esperança que não é esmagada pelos problemas', acrescentou o candidato, que promete acabar com décadas de pobreza e corrupção em um dos países mais desiguais da América do Sul.

Ovelar, ex-ministra, encerrou sua campanha na noite de quarta-feira com um comício que reuniu entre 80 mil (segundo a polícia) e 130 mil pessoas (segundo os organizadores).

'Confiem em mim. Sou uma mãe que sabe o que é sacrifício, o que é o esforço para ir adiante', disse Ovelar, mãe de três filhos e primeira mulher candidata a presidente na história do país.

O ex-presidente colombiano Andrés Pastrana, chefe dos observadores da Fundação Internacional para Sistemas Eleitorais, disse que até agora não foram vistas irregularidades.

'A recomendação que fazemos aos candidatos é baixar os ânimos, porque é importante que não fiquem feridas depois da campanha eleitoral, assim como que exista tranquilidade durante a espera pelos resultados', afirmou ele a jornalistas.

"Covarde e irresponsável"

O ex-bispo Fernando Lugo não compareceu ao último debate televisivo para as eleições do Paraguai, sendo duramente criticado pelos três outros candidatos à presidência e até mesmo pelo apresentador do encontro.

"Farsante", "covarde", "muito irresponsável", disse o apresentador do debate, Humberto Rubín, em referência a Lugo, enquanto as câmeras davam um longo zoom na cadeira vazia.

Lugo - favorito para vencer as eleições de domingo segundo as pesquisas - faltou sem aviso ao "Paraguai decide" pelo canal 4 local, deixando os outros três candidatos, a governista Blanca Olevar, o ex-general Lino Oviedo e o independente Pedro Fadu, esperando.

O chefe da campanha do ex-bispo enviou no último momento um comunicado anunciado que "lamentavelmente neste momento não estão dadas as condições políticas para participar de um debate com essas características" e que "os paraguaios merecem respeito, um respeito que tem sido sistematicamente golpeado nos últimos dias".

gabi
Sigla de Fernando Lugo está há 61 anos no poder
No primeiro bloco do programa, as câmeras se limitaram a mostras os rostos sérios dos outros candidatos, enquanto o apresentador explicava que em momento algum havia dito que iria votar em Lugo, mas que agora se dava conta da pessoa "irresponsável" que ele era.

"É bom que apareçam as verdades sobre cada um", disse, por sua vez, Ovelar, ex-ministra da Educação do atual presidente Nicanor Duarte.

(*Com informações das agências Reuters e AFP)

Veja também:

Leia mais sobre: eleições no Paraguai

    Leia tudo sobre: eleições no paraguai

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG