Os dois candidatos à presidência dos Estados Unidos enfrentam o último fim de semana de campanha antes das eleições desta terça-feira, 4 de Novembro. O candidato do Partido Democrata, Barack Obama, ainda mantém a liderança de acordo com as pesquisas, mas um novo levantamento sugere que a diferença em relação ao rival John McCain, do Partido Republicano, estaria diminuindo.

McCain está fazendo campanha nos Estados da Virgínia e Pensilvânia antes de aparecer no programa humorístico Saturday Night Live, neste sábado à noite.

Obama participa de eventos em Nevada, Colorado e no Missouri.

Os dois candidatos estão visitando os Estados vistos como cruciais para suas chances de vencer as eleições.

"Herói"
Falando a eleitores em Newport News, Virgínia, o senador McCain atacou os planos do rival sobre economia e impostos.

Se referindo ao comentário de Obama, de que ele iria "espalhar a riqueza", McCain disse: "Ele está concorrendo para ser o redistribuidor-chefe, eu estou concorrendo para ser o comandante-chefe" (título atribuído ao presidente americano).

Depois de um comício na Virgínia, na hora do almoço, McCain seguirá para Perkasie, na Pensilvânia, neste sábado à tarde.

Analistas afirmam que Mccain precisa vencer na Pensilvânia - onde ele está atrás, segundo as pesquisas - para ter chance de chegar à presidência.

As pesquisas na Virgínia - onde um candidato democrata não vence desde 1964 - mostram que Obama teria ultrapassado o concorrente.

Obama também está à frente de McCain em Nevada e Colorado, dois Estados que votaram pelo presidente George W. Bush quatro anos atrás.

O Missouri é visto com um Estado vital para vencer, já que apoiou o eventual vencedor em quase todas as eleições desde 1904. Obama tem vantagem apertada no Estado, segundo as pesquisas.

Obama também está estendendo sua campanha a territórios tradicionalmente republicanos neste fim de semana, exibindo propagandas no Arizona, o Estado de McCain, além da Geórgia e Dakota do Norte.

Subindo
Enquanto os candidatos se focalizam nos últimos eventos de campanha, preparações de última hora são feitas para as eleições de terça-feira.

As autoridades eleitorais esperam que 130 milhões de americanos compareçam à votação - um comparecimento que pode ser o mais alto em qualquer eleição desde 1960.

A preocupação é forte com a segurança em Chicago, Estado de Obama, onde espera-se que um milhão de pessoas compareçam ao centro da cidade para votar.

Mas McCain permanece desafiador, dizendo aos eleitores na sexta-feira à noite que ele ainda vai ganhar as eleições.

Sua campanha ganhou a adesão do governador do Estado da Califórnia Arnold Schwarzenegger, que fez um discurso durante um evento em Chicago.

O astro de Hollywood disse que McCain era um verdadeiro "herói de ação", que passou mais tempo como prisioneiro de guerra do que Barack Obama no Senado.

"Nós estamos chegando perto, amigos, e vamos ganhar em Ohio", disse McCain à multidão.

"Nós estamos uns poucos pontos abaixo, mas estamos subindo, e subindo com força."
Em uma nova pesquisa da Reuters/Zogby divulgada neste sábado, a liderança de Obama caiu para apenas quatro pontos percentuais, com 49% das intenções de votos, contra 45% de McCain. A pesquisa anterior indicava diferença de 7 pontos percentuais.

"Nós estamos a quatro dias de mudar os Estados Unidos da América", disse McCain.

Mas o problema, segundo o editor da BBC nos Estados Unidos Justin Webb, é que apesar da pequena diferença nas pesquisas nacionais, McCain continua muito atrás em vários dos Estados em que ele precisa ganhar.

Nenhum republicano jamais foi eleito sem ganhar em Ohio, afirma Webb, e John McCain parece estar cinco pontos atrás no momento.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.