Campanha eleitoral dos EUA chega ao último fim de semana

Por Jeff Mason HANOVERTON, Estados Unidos (Reuters) - O candidato republicano a presidente dos EUA, John McCain, fez campanha na sexta-feira em Ohio, Estado essencial para que ele consiga derrotar Barack Obama na eleição de terça-feira.

Reuters |

Obama, que lidera as pesquisas nacionais e neste Estado do Meio-Oeste, alertou seus seguidores para esperarem ataques de McCain nos últimos dias de campanha.

McCain, no segundo dia de uma viagem de ônibus por Ohio, pediu a seus simpatizantes que lhe ajudem a superar a máquina publicitária de Obama. "O entusiasmo e o embalo que sinto aqui em Ohio vai nos levar à vitória aqui em Ohio. Precisamos de uma nova direção, e temos de lutar por ela, e vamos lutar juntos."

Obama foi a Iowa, onde as pesquisas lhe dão ampla liderança. Assessores dizem que a visita é simbólica, pois lá ele iniciou, nas primárias de janeiro, sua trajetória nesta campanha.

De mangas arregaçadas, numa manhã razoavelmente quente e ensolarada, Obama disse que será "sempre grato" ao povo de Iowa. "O que vocês começaram aqui tomou conta do país", afirmou.

Ele criticou uma propaganda de McCain em que Obama aparece elogiando a posição de seu rival a respeito do aquecimento global. "Como se houvesse algo de errado em admitir quando um adversário disse ou fez algo sensato."

Obama disse que, nesta reta final, os republicanos recorrerão mais à "política de falar qualquer coisa, fazer qualquer coisa, jogar qualquer coisa na geladeira para ver se gruda, uma mensagem destinada a dividir e distrair, nos separar ao invés de nos unir."

PENSILVÂNIA

A candidata republicana a vice-presidente, Sarah Palin, foi fazer campanha na Pensilvânia, Estado que votou em democratas nas quatro últimas eleições. Comparando a disputa a uma corrida de longa distância, Palin disse à Reuters por telefone que está confiante em superar os rivais na reta final.

Ambas as campanhas ofereceram teleconferências concorrentes para manifestar sua opinião sobre a reta final desta campanha que já foi repleta de surpresas e dramas.

David Plouffe, gerente da campanha de Obama, disse que dois Estados voltarão a ter anúncios do candidato, Geórgia e Dakota do Norte, e que a publicidade chegará até ao Estado de McCain, o Arizona.

"Temos organizações nesses três Estados. Os números da votação antecipada na Geórgia são altamente estimulantes. Temos visto movimento tanto em Dakota do Norte quanto no Arizona", disse Plouffe.

Segundo ele, Obama está confiante em manter todos os Estados que foram vencidos por John Kerry em 2004, e também tem boas chances em lugares com Iowa, Novo México, Nevada, Colorado e Virginia, que contribuíram com a vitória de George W. Bush naquele ano.

Já Rick Davis, gerente da campanha de McCain, se disse "bem animado" com a movimentação nas recentes pesquisas.

"Obviamente tivemos muitos altos e baixos ao longo desta corrida, e o que tem sido padrão na campanha de McCain é que reagimos. E estamos testemunhando, acredito, provavelmente uma das maiores reações que vocês já viram desde que John McCain ganhou as primárias", disse Davis.

(Reportagem adicional de Matt Spetalnick)

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG