Campanha de McCain arrecada 27 milhões em julho, diz assessor

Por Richard Cowan WASHINGTON (Reuters) - A arrecadação da campanha do candidato republicano à Presidência dos Estados Unidos, John McCain, continua em ritmo crescente. As contribuições em julho somaram 27 milhões de dólares, disse um importante assessor na sexta-feira.

Reuters |

No mês anterior, McCain tinha arrecadado 22 milhões de dólares -- já o rival democrata, Barack Obama, obteve mais de 130 milhões de dólares em contribuições.

'Continuamos a ter meses de arrecadação recorde. Este já é o quinto mês consecutivo em que ultrapassamos o mês anterior', disse o administrador da campanha de McCain, Rick Davis.

Ele disse que a campanha tinha 21,4 milhões de dólares em dinheiro no fim de julho, 'o que é mais do que o suficiente, somando a nossa arrecadação atual, para fazer uma campanha bastante ativa no mês de agosto'.

Os números sobre a campanha de Obama, que, até agora, ultrapassou McCain nesta área, devem sair em breve.

Enquanto a eleição se aproxima, cada partido fará sua convenção de nomeação de candidato para confirmar as candidaturas de McCain e Obama. Os candidatos também escolherão seus vice-presidentes, farão debates cara a cara e farão campanha pelo país inteiro, em velocidade recorde.

Em setembro, McCain receberá uma grande quantia -- 81 milhões de dólares do fundo eleitoral nacional e cerca de 20 milhões do partido republicano, segundo Davis.

Obama dispensou o financiamento público, que estabelece limites de gastos, devido à sua notável capacidade de obter doações privadas.

No entanto, o Comitê Nacional Republicano também está à frente dos democratas em relação à arrecadação de dinheiro para o candidato a presidente e os candidatos ao Congresso.

Enquanto Davis afirma que McCain consolidou seu apoio entre os republicanos -- cuja maioria é bastante conservadora --, ele sabe que o apoio ao partido diminuiu depois das eleições de 2006, nas quais os republicanos perderam o controle do Congresso.

'Nós temos de prestar atenção constantemente à necessidade de estimular nossa base', disse.

Davis afirmou ainda que haverá 'uma boa melhora' na habilidade de McCain para arrecadar fundos pela Internet, meio usado com maestria por Obama.

Apesar da lentidão da economia norte-americana, do descontentamento em relação à guerra no Iraque e os altos preços da gasolina -- questões que prejudicam o partido republicano, de George W. Bush --, as pesquisas indicam, até agora, que a disputa entre McCain e Obama está acirrada.

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG