Camisetas, canecas e pins: a obamania dispara às vésperas da posse

Pratos decorativos ou notas de dólares com a efígie de Barack Obama, canecas, placas de automóveis, revistas em quadrinhos: a eleição do primeiro presidente negro dos Estados Unidos fez explodir a produção de itens comemorativos para todos os gostos e os variados níveis de poder de compra.

AFP |

O entusiasmo pelos produtos derivados do novo presidente teve seu auge nas festas de fim de ano, quando foram vendidos até enfeites de árvore de Natal com a imagem de Obama, mas a febre foi retomada agora, quando faltam poucos dias para sua posse oficial.

"É uma loucura!", exclama Jim Warlick, dono das lojas "Obama Inaugural Gift Center", em Washington.

"Essa é minha oitava posse presidencial. A mais importante em termos de vendas de 'souvenirs' foi a de Bill Clinton, em 1993. Mas esta vai ser de três a cinco vezes mais lucrativa", assegura o empresário, que oferece maquetes do Salão Oval, vestidos usados pelas primeiras-damas e réplicas do avião presidencial, o Air Force One.

"Também há muitos turistas, ingleses, brasileiros, franceses, alemães, russos e africanos", afirma a vendedora Audrey Cooper, junto às estantes de camisetas, imãs de geladeira e canetas esferográficas.

O maior canal de televendas, o QVC, aproveitou a ocasião para vender milhares de souvenirs para sua audiência, calculada em 98 milhões de lares nos Estados Unidos.

Desde a vitória de Obama nas urnas, em 4 de novembro,o QVC já vendeu mais de 100.000 recordações: selos, medalhas, relógios, retratos a óleo e toalhas.

No dia 20, dia da posse, o canal transmitirá parte do desfile presidencial e das festas da posse.

"Apesar da crise, esperamos fazer nossas melhores vendas durante a posse", explica Doug Rose, vice-presidente de programação do QVC.

Outros canais exibem constantemente propagandas de outros objetos à venda, como conjunto de louças com a imagem do sedutor democrata eleito e a bandeira dos Estados Unidos ao fundo.

Depois de lançar seu site, o comitê de organização das cerimônias, que reuniu um orçamento de 75 milhões de dólares para financiar as festividades, também abriu sua "lojinha oficial" e passou a oferecer canecas com a imagem do Capitolio por 50 dólares e camisetas com o retrato de Obama ao estilo pop-art que o californiano Shepard Fairey tornou famosas durante a campanha eleitoral por 30 dólares.

Também é possível compra o pôster oficial da posse por apenas 20 dólares.

Nas ruas, os camelôs também fazem a festa e vendem, por exemplo, a mesma camiseta bem mais barato, a 10 dólares.

Na internet também são encontrados os artigos mais cotados: o livro de Obama publicado em 2006, "A audácia da esperança", com autógrafo do autor e que é vendido pela bagatela de mil dólares e uma edição da revista More autografada por Michelle Obama, por 250 dólares.

O metrô de Washington vendeu 26.000 bilhetes de transporte com o busto do novo presidente.

A editora Marvel Comics não ficou atrás e publicou um número especial do Homem-Aranha em que o super-herói garante que Obama tome posse como novo presidente dos Estados Unidos.

bur-vmt/cn/fp

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG