Uma camiseta com os dizeres fui estuprada, lançada como parte de um projeto de conscientização nos Estados Unidos, está causando polêmica no país. O lançamento da camiseta, idealizada pela Jennifer Baumgardner, uma conhecida escritora feminista americana, faz parte projeto criado para alertar a sociedade sobre o estupro.

Criada pelo artista Vinnie Angel, a camiseta mostra um bilhete com a inscrição dentro de um cofre aberto e faz parte do projeto I was raped (fui estuprada, em tradução livre), que será composto ainda por um documentário que irá contar a história de 10 vítimas de estupro - nove mulheres e um homem.

"A intenção é chamar a atenção para o fato de que o estupro, apesar de ilegal, ainda é incrivelmente comum e uma experiência silenciada na nossa sociedade", disse Baumgardner à BBC Brasil.

Ela afirmou que sua irmã foi vítima de estupro e que usar a camiseta seria "uma forma de quebrar o silêncio que possibilita que a prática do estupro seja tão comum".

Polêmica

O projeto recebeu várias críticas. Quando a história sobre o lançamento da camiseta foi publicada no jornal americano New York Times, na semana passada, provocou uma avalanche de centenas de emails e comentários enviados por dos leitores no site da publicação na internet.

Vários leitores afirmavam que Baumgardner estaria tentando apenas causar polêmica para se promover e divulgar seu trabalho literário. Algumas vítimas de estupro também se manifestaram, dizendo que preferiam guardar a experiência para si.

Baumgardner, no entanto, disse à BBC Brasil que recebeu várias respostas positivas de pessoas que teriam sido estupradas.

"Não estou obrigando ninguém a usar as camisetas e não pesquisei para saber das críticas, mas posso dizer que várias sobreviventes de estupro entraram em contato comigo em agradecimento porque entenderam o objetivo da idéia", afirmou.

As camisetas estão sendo vendidas pela internet no site Scarleteen por US$25 (R$42). A renda da venda das camisetas será revertida para a manutenção do site, que oferece educação sexual para adolescentes.

Em 2003, a escritora e ativista havia lançado um projeto similar, mas direcionado às mulheres que teriam feito um aborto. I had an abortion (fiz um aborto) causou polêmica nos Estados Unidos.

Os críticos - a maioria contrários ao aborto - afirmavam que a camiseta representava uma atitude de indiferença em relação a um problema que deveria ser tratado com mais seriedade.

Leia mais sobre: estupros

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.