O líder conservador David Cameron, cujo partido venceu em votos e cadeiras as eleições gerais de quinta-feira, mas sem maioria absoluta, ofereceu um "acordo global" de governo aos liberais-democratas de Nick Clegg, a terceira força do Parlamento." /

O líder conservador David Cameron, cujo partido venceu em votos e cadeiras as eleições gerais de quinta-feira, mas sem maioria absoluta, ofereceu um "acordo global" de governo aos liberais-democratas de Nick Clegg, a terceira força do Parlamento." /

Cameron oferece acordo global de governo aos 'lib-dem' de Clegg

O líder conservador David Cameron, cujo partido venceu em votos e cadeiras as eleições gerais de quinta-feira, mas sem maioria absoluta, ofereceu um "acordo global" de governo aos liberais-democratas de Nick Clegg, a terceira força do Parlamento.

AFP |

O líder conservador David Cameron, cujo partido venceu em votos e cadeiras as eleições gerais de quinta-feira, mas sem maioria absoluta, ofereceu um "acordo global" de governo aos liberais-democratas de Nick Clegg, a terceira força do Parlamento.

"Quero fazer uma oferta grande, aberta e global aos liberais-democratas. Quero que trabalhemos juntos para enfrentar os problemas maiores e urgentes de nosso país", declarou em uma entrevista coletiva em Londres.

"Acredito que temos uma base forte para um governo forte", completou, antes de destacar que em algumas áreas não está disposto a negociar, como a questão da Europa e a imigração.

Clegg, que apesar de ter eleito um número discreto de deputados para a Câmara dos Comuns tem a possível chave do novo governo, afirmou mais cedo que os conservadores, apesar de não terem obtido a maioria absoluta, têm a "prioridade" para tentar formar um governo.

A posição foi um novo golpe para o primeiro-ministro trabalhista Gordon Brown, que em uma breve declaração à imprensa em Downing Street disse "entender" e "respeitar" a opinião de Clegg.

"Cameron e Clegg devem claramente ter o direito de tomar o tempo que acreditam ser necessário", disse.

Mas completou em seguida que se as discussões "não derem em nada, então certamente estaria preparado para conversar com Clegg sobre os temas nos quais pode existir algum tipo de acordo entre os dois partidos".

Segundo os resultados parciais, com apenas nove circunscrições indefinidas, os 'Tories' têm 302 deputados na Câmara dos Comuns, os trabalhistas 256 e os liberais-democratas 56.

Em caso de acordo, conservadores e liberais-democratas superariam a maioria absoluta de 326 das 650 cadeiras da Câmara.

ra/fp

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG