Cameron diz que R.Unido deve ter cautela em intervenção em conflitos

Londres, 15 jan (EFE).- O líder da oposição conservadora do Reino Unido, David Cameron, atual favorito para ganhar as eleições gerais deste ano, disse acreditar que o país deve ser cauteloso ao intervir em conflitos estrangeiros.

EFE |

Em discurso pronunciado no Real Instituto de Relações Internacionais de Londres, Cameron disse que um Governo "tory" (conservador) deve "pensar com muito mais cuidado" se deve enviar tropas para intervenções militares no exterior.

No caso de mandar militares, seu Governo tomaria medidas para evitar o mesmo caos que houve na intervenção militar no Iraque (2003), acrescentou o líder conservador no citado instituto, mais conhecido como Chatham House.

"Temos que pensar com muito mais cuidado se o Reino Unido deve se envolver em um conflito estrangeiro e, caso assim seja, como fazer frente às consequências", explicou o político.

"Garantiremos que as decisões sobre a segurança nacional serão tomadas formalmente", disse Cameron.

O líder conservador também falou que, caso seja eleito, seu Governo está disposto a criar um centro que avalie uma possível ameaça cibernética a fim de proteger a rede de computadores do Reino Unido.

"Sabemos que há centenas de milhares de ataques cibernéticos e crimes contra os negócios britânicos a cada ano. Contra o Governo e o setor público pode haver muito mais", afirmou.

As eleições gerais no Reino Unido serão organizadas no máximo até junho. EFE vg/bba

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG