Camboja: opositor Sam Rainsy pede novas eleições em Phnom Penh

O líder da oposição cambojana, Sam Rainsy, pediu a organização de novas eleições nas circunscrições da capital Phnom Penh, afirmando que muitos eleitores não foram registrados nas listas das legislativas neste domingo.

AFP |

Em entrevista coletiva, Sam Rainsy, 59 anos, também questionou as declarações do Partido do Povo Cambojano (PPC) do primeiro-ministro Hun Sen, que afirmou estar na liderança em 80 das 123 circunscrições do país e reivindicou a vitória nas eleições.

"Nenhum partido obteve mais de dois terços das cadeiras", disse Rainsy.

Sam Rainsy, cujo partido, que leva seu nome, contava com 24 deputados no Parlamento, afirmou que 200.000 dos 722.000 eleitores de Phnom Penh não puderam votar devido a irregularidades nas listas eleitorais.

"Não aceitamos o resultado em Phnom Penh", declarou, exigindo a realização de novas eleições na capital cambojana.

Observadores confirmaram casos de nomes não registrados em listas eleitorais mas questionaram os números adiantados por Rainsy, que consideram muito elevados.

"O ponto mais importante é que a taxa de participação foi baixa e que muitos nomes desapareceram" das listas, declarou Hang Puthea, chefe do grupo de observadores eleitorais Nicfec.

"Se fossem apenas 20.000 nomes desaparecidos, poderia até aceitar, mas 200.000 é muita coisa", acrescentou.

Mais de oito milhões de cambojanos eram convocados às urnas neste domingo. O PPC de Hun Sen está no poder há mais de duas décadas.

suy/yw

    Leia tudo sobre: camboja

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG