Camboja fará primeiro julgamento contra um ex-líder do Khmer Vermelho

O primeiro julgamento internacional contra um ex-líder do regime Khmer Vermelho por crimes de guerra e contra a humanidade, o ex-torturador Kaing Guek, o Duch, terá início no dia 17 de fevereiro, no Camboja, anunciou nesta segunda-feira o tribunal patrocinado pela ONU, que instrui as causas das matanças cometidas pelo regime ultracomunista (1975-1979).

AFP |

O acusado, um ex-professor de matemática de 66 anos, dirigiu o centro de tortura S-21 em Phnom Penh, onde estiveram detidos mais de 12.380 homens, mulheres e crianças antes de serem executados.

"Duch", de 65 anos, foi preso em 1999 e transferido em 2007 para o tribunal da ONU, criado em 2006 depois de dois anos de negociações entre as Nações Unidas e o governo cambojano de Hun Sen, primeiro-ministro no poder há mais de 23 anos.

O julgamento sofreu inúmeros atrasos pelas acusações de corrupção e ingerência por parte do governo de Hun Sen.

"Duch" faz parte de um grupo de cinco ex-dirigentes do Khmer Vermelho detidos pelas mesmas acusações.

Cerca de dois milhões de cambojanos morreram sob o regime do Khmer Vermelho que, em nome de uma ideologia que misturava maoísmo e nacionalismo, semeou o terror há 30 anos no Camboja, impondo trabalhos forçados e eliminando sistematicamente qualquier tipo de oposição.

pf/cn

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG