Camboja descarta guerra com Tailândia por confronto na fronteira

Phnom Penh, 4 abr (EFE).- O primeiro-ministro do Camboja, Hun Sen, descartou hoje que o enfrentamento na fronteira entre tropas de seu país e da Tailândia, que deixou quatro mortos, vá desencadear uma guerra.

EFE |

Além desse confronto, dois soldados cambojanos e um tailandês morreram hoje em um combate entre por tropas dos dois países em uma área fronteiriça próxima às ruínas do templo de Preah Vihear, cuja soberania é disputada por ambas as nações.

Hun Sen qualificou de "incidente" o enfrentamento de sexta-feira, no qual outros nove soldados tailandeses ficaram feridos por obuses e tiros.

"Não quero que esses incidentes se repitam e que se expandam a outras zonas da fronteira", disse Hun Sen em discurso transmitido pela TV estatal cambojana.

Os confrontos entre militares de Tailândia e Camboja começaram pelo fato de que os soldados tailandeses cruzaram a fronteira, como alega o comando do Exército cambojano.

O chefe do Exército da Tailândia, general Anupong Paochinda, assegurou na sexta-feira à imprensa que o enfrentamento se deveu a um "mal-entendido" entre os oficiais de menor categoria das forças posicionadas em Preah Vihear.

No início dos anos 1960, a Corte Internacional de Justiça de Haia determinou que o terreno sobre o qual fica Preah Vihear, construído no século IX, corresponde ao Camboja, mas a Tailândia resiste em aceitar a decisão. EFE jcp/rr

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG