Câmara dos EUA rejeita emenda que tenta impedir fechamento de Guantánamo

WASHINGTON - A Câmara de Representantes dos Estados Unidos rejeitou nesta quinta-feira, em votação apertada, uma emenda para impedir o fechamento da prisão americana na base naval de Guantánamo, em Cuba, onde estão mais de 200 presos.

Redação com EFE |

O resultado da votação sobre a emenda, proposta pelo legislador republicano Jerry Lewis, foi de 213 votos contra e 212 a favor, um reflexo da intensidade do debate político sobre o eventual fechamento de Guantánamo, previsto para janeiro de 2010.

A emenda de Lewis, apresentada dentro do projeto de lei orçamentário para o Departamento de Justiça para o ano fiscal de 2010, proibia o uso de fundos federais para tramitar o fechamento da prisão.

Dois dias depois de sua posse, o presidente Barack Obama assinou uma ordem executiva na qual ordenou o fechamento da prisão em um prazo de um ano. Porém, os legisladores exigem um relatório sobre o destino dos 229 estrangeiros presos em Guantánamo.

Lewis disse a que votação apertada demonstra que, em nome da segurança nacional, os democratas ainda estão dispostos a desafiar o presidente.

"O fechamento de Guantánamo é uma proposta perigosa e desaconselhável", insistiu Lewis, o republicano de maior importância na Comissão de Dotações Orçamentárias da Câmara de Representantes.

Esta lei orçamentária contém cláusulas que exigem que a Casa Branca envie um relatório ao Congresso sobre seus planos para o destino dos presos, mas também proíbe a transferências destes para os EUA.

Leia mais sobre Guantánamo

    Leia tudo sobre: guantanamoguantánamo

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG