Câmara dos EUA aprova exploração de petróleo em alto-mar

A Câmara dos Representantes dos Estados Unidos aprovou na segunda-feira o projeto de lei que autoriza a exploração de petróleo na costa do país, o que colocaria fim a uma proibição de 27 anos. A atividade seria permitida, mas apenas entre 50 e 100 milhas (80 e 160 km) da costa e se os Estados concordarem.

BBC Brasil |

Acima das 100 milhas, as áreas seriam abertas à exploração, de acordo com a lei.

O projeto, aprovado por 236 a 189 na Câmara dos Representantes, vai agora para o Senado, onde a questão energética deve ser o tópico da próxima semana.

A medida foi aprovada na Câmara baixa com o apoio do Partido Democrata, que antes se opunha à extração de petróleo em águas americanas.

Republicanos consideraram o apoio do rival ao projeto como um artifício, em um momento em que cresce a pressão por medidas que aliviem os altos preços do petróleo e dos combustíveis.

A presidente da Câmara, a democrata Nancy Pelosi, rebateu as críticas, afirmando que a legislação marcaria "uma nova direção na política energética", já que o extenso pacote enfatizaria o uso de energias alternativas.

Proibição
Mesmo com a aprovação do projeto, cerca de 90% do petróleo na costa americana permaneceria inacessível à exploração, segundo as estimativas oficiais, porque se localiza dentro do limite vetado de 50 milhas.

Desde 1981, uma moratória do Congresso Americano proíbe a exploração de óleo e gás na costa americana do Atlântico e do Pacífico e na porção leste do Golfo do México, uma área equivalente a 80% da plataforma continental dos EUA.

Em julho, o presidente americano, George W. Bush, levantou uma proibição do Executivo à exploração petroleira na costa, pedindo aos legisladores do país que seguissem o mesmo caminho, a fim de reduzir a dependência do país às importações de petróleo.

A proibição havia sido imposta em 1990 pelo ex-presidente e pai do atual líder, George Bush. A medida foi estendida nos anos do governo Clinton.

A exploração petroleira tem sido permitida apenas nas regiões central e ocidental do Golfo do México e em partes do Alasca.

A finalidade das proibições é proteger o turismo e reduzir as chances de desastres ambientais na costa do país.

Os críticos da exploração petroleira dizem que seriam necessários pelo menos dez anos para que a atividade começasse a ter efeito sobre a oferta de petróleo - tempo durante o qual a sua contribuição para o aquecimento global seria muito mais significativa.

O tema é uma das questões presentes na corrida presidencial americana. O candidato republicano John McCain é favorável à exploração de petróleo na costa dos EUA, enquanto seu rival democrata, Barack Obama, é contra.

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG