Câmara Baixa japonesa rejeita moção de confiança contra o Governo

Tóquio, 14 jul (EFE).- A Câmara Baixa do Japão, na qual a coalizão governamental é maioria, rejeitou hoje uma moção de confiança contra o gabinete do primeiro-ministro do país, Taro Aso, apresentada ontem pela oposição.

EFE |

No entanto, se espera que o Senado japonês, onde o opositor Partido Democrático (PD) é majoritário, aprove nesta terça-feira uma moção de censura não vinculativa contra Aso, segundo a agência local de notícias "Kyodo".

Os dois textos foram apresentados ontem, um dia depois da derrota da coalizão governamental do Partido Liberal-Democrata (PLD) e do Novo Komeito nas eleições locais para a Assembleia de Tóquio, e são uma tentativa de forçar o primeiro-ministro a convocar eleições gerais.

Aso anunciou na noite desta segunda-feira que dissolverá a Câmara Baixa a partir do próximo dia 21 e que o Japão realizará eleições gerais no dia 30 de agosto.

A moção de confiança critica a gestão do gabinete de Aso, acusando-o de "aplicar políticas que beneficiavam poucos para buscar o apoio dos eleitores sem ganhar o mandato dos cidadãos".

Segundo este texto, "se o gabinete de Aso continuar, nosso país enfrentará uma crise nacional".

Caso a moção de censura seja aprovada no Senado, esta será a primeira vez em que isto ocorre desde junho de 2008, quando a Câmara Alta aprovou um texto similar contra o ex-primeiro-ministro Yasuo Fukuda, que renunciou três meses depois para ser substituído por Aso.

Depois da previsível aprovação da moção de censura contra Aso no Senado, se espera que os legisladores dos partidos da oposição se neguem a participar das votações sobre diversas leis, entre elas uma que permitiria a inspeção de navios norte-coreanos suspeitos. EFE icr/bba

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG