Calor já matou 132 e levou 30 mil a hospitais no Japão desde junho

As temperaturas devem seguir elevadas por conta de um sistema de altas pressões no Oceano Pacífico

EFE |

Pelo menos 132 pessoas morreram e mais de 30 mil foram hospitalizadas no Japão desde o último dia 1º de junho por conta das altas temperaturas no país, informaram fontes oficiais nesta terça-feira.

Só no mês de julho foram internadas 17.680 pessoas, das quais 94 morreram, segundo a Agência japonesa para a Gestão de Desastres, que advertiu que estes são os números mais altos nos últimos verões. "As estatísticas são as piores desde 2008, quando nossa agência começou a compilar os dados. Portanto queremos que as pessoas sigam em alerta, já que se espera que o calor siga sendo intenso", indicou um representante da agência citado pela agência local "Kyodo".

Mais da metade dos hospitalizados apresentavam sintomas "leves", enquanto 47,7% eram maiores de 65 anos, segundo os dados. Em Tóquio, as temperaturas superaram nesta terça-feira os 35 graus pelo terceiro dia consecutivo - na segunda a chegaram a ser 38 graus - enquanto as mínimas não baixam dos 25 graus.

A Agência Meteorológica do Japão advertiu que, por enquanto, as temperaturas seguirão altas, por conta de um sistema de altas pressões no Oceano Pacífico.

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG