Por Ibrahim Mshelizza MAIDUGURI, Nigéria (Reuters) - Moradores se aventuraram nas ruas da cidade nigeriana de Maiduguri neste sábado depois de as autoridades retirarem os corpos de centenas de vítimas de confrontos com uma seita islâmica radical.

Autoridades do governo estadual e do Ministério da Saúde terminaram de remover os corpos do centro da cidade, alguns deles inchados depois de ficarem estirados por dias, e forças de segurança começaram a retirar seus bloqueios das estradas.

Aliiyu Maikano, funcionário da Cruz Vermelha, disse que os corpos de supostos membros da seita Boko Haram que tinham tentado escapar de uma blitz ainda estavam sendo trazidos de fora da cidade.

"Alguns militantes estavam tentando escapar pela mata. Eles ainda estão recolhendo corpos daqueles que tentaram escapar", afirmou ele à Reuters.

Pelo menos 300 pessoas foram mortas em Estados no norte da Nigéria durante quase uma semana por seguidores da Boko Haram, uma seita militante que quer adotar a lei islâmica no país mais populoso da África.

Maiduguri, onde o líder da seita, Mohammed Yusuf, tinha sua base, viu os conflitos mais pesados. Autoridades locais recolheram mais de 200 corpos no início da sexta-feira apenas na cidade.

As autoridades esperam que a morte de Yusuf, 39, na quinta-feira, coloque um fim à violência.

"Peço a todos que continuem suas vidas agora que o lamentável levante do Boko Haram foi aniquilado", disse Ali Modu Sheriff, governador do Estado de Borno, do qual Maiduguri é a capital, à rádio estatal.

"As agências de segurança devem continuar as buscas casa a casa por membros da seita para levá-los à Justiça e peço a todos que cooperem", afirmou.

Centenas de pessoas se reuniram na sexta-feira para ver o corpo de Yusuf, deitado no chão diante da sede da polícia de Maiduguri ao lado dos de outros supostos membros do Boko Haram.

Autoridades afirmaram que Yusuf morreu a tiros enquanto tentava escapar da prisão, mas grupos de direitos humanos condenaram o que pareceu ter sido uma execução.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.