Calma marca eleições para renovar governadores e Câmara no México

Juan David Leal. México, 5 jul (EFE).- As eleições mexicanas para a renovação da Câmara dos Deputados, dos governadores de seis estados e centenas de cargos públicos locais, para as quais estão convocados mais de 77 milhões de eleitores, transcorrem até agora de maneira pacífica.

EFE |

O presidente mexicano, Felipe Calderón, afirmou depois de votar em uma escola primária em frente à residência presidencial na Cidade do México, que hoje é um "dia dos cidadãos".

Calderón manifestou seu desejo de que "a jornada siga se desenvolvendo em paz e tranquilidade, com plena liberdade para os cidadãos" e lembrou que "o voto é um direito e é um dever".

Com algum atrasos, em sua maioria casos isolados, se foram abrindo ao longo da manhã os cerca de 139 mil centros de votação em todo o território mexicano,.

Segundo dados do Instituto Federal Eleitoral (IFE), organismo encarregado de organizar o pleito para renovar as 500 cadeiras da Câmara dos Deputados, em 98% dos postos eleitorais haverá representantes de três ou mais partidos políticos.

Além disso, o processo conta com um Exército de 18.125 observadores eleitorais nacionais e 424 estrangeiros provenientes de 51 países dos cinco continentes, que vigiarão a legalidade da disputa.

"O IFE se encontra pronto para realizar esta jornada em um ambiente ordenado que brinde certeza e equidade à disputa", afirmou seu presidente, Leonardo Valdés, para quem "a democracia no México se consolidou".

A renovação da Câmara coincide com a realização de eleições locais em uma parte do país, em que serão eleitos os governadores de seis estados mexicanos, 549 prefeitos, 12 congressos locais e 16 Prefeituras menores da Cidade do México.

As eleições nacionais são as primeiras do México após a aprovação de uma reforma eleitoral que introduziu novos processos de fiscalização dos recursos dos partidos, deu ao IFE o monopólio na difusão de propaganda política em rádio e televisão e diminuiu a duração das campanhas.

"Por ora vimos tranquilidade, normalidade na instalação das urnas, alguns atrasos em alguns lugares do país que é, digamos, normal nesse tipo de coisas, mas até agora não temos conhecimento de incidentes", disse o procurador-geral do México, Eduardo Medina Mora.

Germán Martínez, presidente do governista Partido Ação Nacional (PAN), do chefe de Estado mexicano, afirmou que os representantes dessa legenda estão indo a todas as urnas e estarão "por dentro de qualquer incidência".

Por sua vez, a presidente do Partido Revolucionário Institucional (PRI), Beatriz Paredes, a maior força da oposição no México, disse à imprensa que deseja que "a jornada se desenvolva sem problemas".

No entanto, os integrantes do partido estarão "atentos" segundo ela. "Temos alguns indícios que nos preocupam em algumas zonas do país", assegurou.

A transmissão dos primeiros resultados da eleição começa às 20h (22h, Brasília) e seguirá durante as 24 horas seguintes.

No entanto, esses números serão preliminares, e os resultados oficiais começarão a ser conhecidos na quarta-feira, 8 de julho, com os cômputos de cada distrito eleitoral. EFE jd/rr

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG