A Califórnia amanheceu nesta quarta-feira sem saber ainda se esse estado manterá vigente a autorização dos casamentos entre pessoas do mesmo sexo devido aos resultados de um referendo de margens ainda muito estreitas.

Às 3H20 locais (8H20 de Brasília) desta quarta-feira, com 86,4% dos votos apurados, a "Proposta 8", que busca fazer uma emenda à Constituição do estado para que se aceite "apenas o casamento entre um homem e uma mulher", vencia com 51,8% contra 48,2%, segundo dados do departamento de Estado da Califórnia.

Todas as grandes cadeias de televisão que divulgam projeções eleitorais nos Estados Unidos se abstiveram de dar por vencedor qualquer uma das partes à espera de que 100% dos votos sejam apurados.

A proibição do casamento gay e a construção de um trem de alta velocidade foram as consultas mais destacadas realizadas ao mesmo tempo que as eleições presidenciais nos Estados Unidos.

O texto da "Proposta 8", promovida pelos grupos conservadores, busca, por meio do voto popular, anular a decisão adotada em maio pela Suprema Corte da Califórnia de legalizar os matrimônios homossexuais.

No estado de 37 milhões de pessoas o "Sim" à "Proposta 8" ganhou pontos nas pesquisas desde agosto, quando se intensificou a campanha a favor da medida, que teve como alvo em especial os valores católicos da comunidade latina, que representa mais de 30% da população da Califórnia e que em 2000 votou majoritariamente contra os casamentos gays em uma consulta similar.

Segundo o Instituto de Políticas Públicas da Califórnia, 52% votariam "Não" à proibição dos matrimônios gays e 44% "Sim" aos casamentos apenas entre um homem e uma mulher, de acordo com resultados da semana passada.

No entanto, a tensão reina em um estado onde milhares de casais homossexuais compareceram ao registro civil desde junho e ninguém sabe o que aconteceria com a união em caso de vitória do "Sim" à emenda constitucional.

pb/cn

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.