Calderón sofre derrota em eleição legislativa no México

Por Alistair Bell CIDADE DO MÉXICO (Reuters) - Os eleitores mexicanos puniram o presidente Felipe Calderón no domingo pela grave recessão e o aumento da criminalidade, impondo ao partido do governo uma dura derrota nas eleições para o Congresso.

Reuters |

O resultado ruim do Partido Ação Nacional (PAN) complica os projetos de reforma econômica de Calderón, que precisará do apoio da oposição na câmara baixa do Congresso.

A economia mexicana deve afundar mais de 6 por cento este ano, em grande parte devido à recessão nos EUA, enquanto a produção de petróleo, um pilar para o financiamento do governo, está caindo rapidamente.

Calderón, aliado do presidente norte-americano Barack Obama na luta contra os cartéis de drogas no México, pediu ao Congresso que trabalhe com ele.

"A rivalidade deve ser deixada para trás, e agora devemos concentrar os nossos esforços para encontrar um campo de consenso para alcançar os acordos que o país precisa para recuperar o crescimento econômico, a criação de empregos e a segurança pública", disse Calderón num discurso à nação.

O partido do conservador Calderón admitiu a derrota para o Partido Revolucionário Institucional (PRI), que tinha vantagem de quase 9 pontos percentuais com 60 por cento dos votos apurados.

A eleição foi uma vitória clara para o ressurgente PRI, que governou o México pela maior parte do século 20, até a derrota do ex-presidente Vicente Fox nas eleições nove anos atrás.

O PRI será o maior partida da Câmara dos Deputados, que teve todas as 500 cadeiras em disputa na votação de domingo, e será uma força para a eleição presidencial de 2012.

O PAN não conseguiu criar empregos, o que levou milhares de mexicanos a cruzar a fronteira com os Estados Unidos ilegalmente em busca de trabalho. Roubos e sequestros se tornaram comuns nas cidades mexicanas.

"Calderón é um malandro. Ele prometeu empregos e a verdade é que nós temos muitas pessoas sem trabalho", disse a estudante Roxana Milan, de 25 anos.

(Reportagem adicional de Michael O'Boyle e Jason Lange)

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG