Calderón julga presença militar estrangeira na A.Latina com parâmetros iguais

Montevidéu, 14 ago (EFE).- O presidente do México, Felipe Calderón, pediu hoje que a presença militar estrangeira na América Latina seja julgada com parâmetros homogêneos.

EFE |

Calderón, em visita oficial ao Uruguai, disse que "é importante ter consistência" e "ver com a mesma preocupação a realização de manobras militares dos Estados Unidos na Colômbia, como a realização de manobras navais em outro país da região pelos russos", em uma aparente referência à colaboração militar da Venezuela com a Rússia.

"Acho que devemos estabelecer parâmetros homogêneos para julgar as coisas", afirmou o presidente mexicano, que também pediu que o apoio militar na região seja visto "com atenção".

Calderón fez as declarações em entrevista coletiva conjunta com o presidente do Uruguai, Tabaré Vázquez, em Montevidéu.

O acordo para o uso de bases militares colombianas por soldados americanos, em fase de negociação, gerou mal-estar em países como a Venezuela e o Equador e preocupação em outras nações sul-americanas, como o Brasil e o Chile.

Sobre a reunião convocada pela União de Nações Sul-americanas (Unasul) para o dia 28 de agosto em Bariloche, na Argentina, Calderón disse que "não corresponde ao México participar", por não pertencer ao organismo. EFE lh/pd

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG