Calderón critica defesa de intervenção unilateral dos EUA em Honduras

Guadalajara (México), 10 ago (EFE).- O presidente do México, Felipe Calderón, criticou hoje os países que pedem uma intervenção unilateral dos Estados Unidos em Honduras, para restituir o presidente Manuel Zelaya no poder, e defendeu uma resolução da situação com as leis e os organismos internacionais existentes.

EFE |

"Reconheço o paradoxo que envolve o presidente dos EUA, Barack Obama, que quem mais rejeita a intervenção americana na região é agora quem mais pede a intervenção dos Estados Unidos, por mais legítimo que seja o propósito", disse, na cidade mexicana de Guadalajara.

Calderón fez as declarações na entrevista coletiva final da 5ª cúpula de líderes da América do Norte, na qual Obama reiterou seu apoio ao restabelecimento da ordem democrática em Honduras, após o golpe de Estado do dia 28 de junho.

O líder mexicano disse que a "aposta deve ser nas instâncias internacionais e no direito internacional e não na intervenção de um só Estado, ou de uma só pessoa, para resolver um tema desta natureza".

"Ficamos feliz hoje que o presidente Obama esteja na Presidência dos Estados Unidos e possamos fazer exigências desse tipo, mas no passado e, claro, no futuro, não sabemos quem poderá estar nesse cargo", disse.

"Não compartilho a opinião de que os EUA sejam o grande juiz e o solucionador final, via intervenção, nos assuntos de nossos países", afirmou.

"Em todo caso poderíamos talvez criar um grupo de países amigos de Honduras que atue tanto com o trabalho mediador de Óscar Arias, quanto com o trabalho da Organização dos Estados Americanos (OEA)", sugeriu, mas não deu mais detalhes sobre essa iniciativa. EFE rac/pd

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG